Senado aprova coronavoucher e agora segue para a sanção de Bolsonaro. Nesta segunda-feira (30), o Senado aprovou o projeto que vai conceder R$ 600 mensais aos trabalhadores informais e intermitentes durante a crise do coronavírus.

Senado aprova coronavoucher, benefício vai dar até R$ 1200 a trabalhadores

O texto agora seguirá para a sanção do presidente Jair Bolsonaro. Entretanto, ele foi aprovado com alterações consideradas de “redação” e, por isso, ele não volta à Câmara.

Depois do término da votação, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), pediu celeridade a Bolsonaro via redes sociais.

home office

Depois da votação, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), pediu celeridade a Bolsonaro por meio das redes sociais. Diagnosticado com coronavírus, Alcolumbre não participou da sessão.

A votação aconteceu por sessão remota e teve aprovação por unanimidade, com 79 votos a favor.

Além disso, a intenção da Casa é votar em novo projeto amanhã, que amplia a concessão do “coronavoucher”, incluindo mais critérios para a requisição dele.

A intenção dos senadores é de fazer alterações no texto, mas preferiram não fazer os acréscimos para evitar que o projeto volte para nova votação da Câmara.

Coronavoucher

O “coronavoucher” foi aprovado pela Câmara na semana passada. Entretanto, o benefício proposto inicialmente pelo governo era de apenas R$ 200 e foi ampliado para R$ 600 na Câmara.

Há ainda a possibilidade de Auxílio Emergencial de R$ 1,2 mil para mulheres que são chefes de família. Quem já recebe benefício previdenciário e assistencial, como Benefício de Prestação Continuada (BPC) e seguro-desemprego não poderá receber o benefício que tem o objetivo de diminuir o impacto econômico da pandemia do novo coronavírus.

Com informações Seu crédito Digital