O futebol e o esporte como um todo podem ser fortemente impactados pela pandemia do Covid-19 no País. De acordo com análise feita pelo Ibracon — Instituto dos Auditores Independentes do Brasil, a dimensão dos danos será proporcional à duração da pandemia, podendo causar pesados prejuízos a atletas e equipes.

“Avaliamos três cenários possíveis: um de curto prazo, com a quarentena durando um mês; um de médio prazo, caso se estenda até junho; e um de longo prazo, caso ultrapasse junho”, explica Carlos Aragaki, coordenador da Câmara de Contadores do Ibracon. “Dependendo do cenário, o esporte será fortemente impactado, assim como diversos setores da sociedade. Por isso, neste momento, é fundamental as equipes reverem seus planos estratégicos e orçamentos”.

No futebol brasileiro, por ser o esporte mais popular e rico do Brasil, o problema é mais nítido, todavia, as dificuldades podem ser aplicadas aos demais esportes, dentro da particularidade de cada um.

Segundo Aragaki, no curto prazo, os clubes de futebol terão queda de receita por causa da falta de bilheteria dos jogos, royalties de produtos e nos patrocínios. Em médio prazo, as receitas serão impactadas por causa dos contratos de transmissão de jogos e pay-per-view, inclusive para os campeonatos sul-americanos. A longo prazo, o que impactará a receita será o mercado de venda de jogadores e pacotes de sócio torcedor ainda fiéis aos seus clubes.

Apesar desse cenário desfavorável para as receitas, a solução virá nas renegociações de contratos e acordos. Contudo, questões envolvendo os custos serão mais difíceis de resolver, pois envolvem renegociação de salários de atletas e impostos, por exemplo.

Fundado em 1971, o Ibracon — Instituto dos Auditores Independentes do Brasil é uma entidade representativa dos auditores independentes, que, por meio de ações nos mais diversos âmbitos, promove a atividade e demonstra sua contribuição para o desenvolvimento econômico e sustentável do Brasil.