CRCSC alerta para a importância do Contador para declaração do Imposto de Renda

Todos os anos entre os meses de março e abril, milhões de brasileiros se enchem de dúvidas no momento de preencher a declaração de Imposto de Renda (IRPF). Ainda que a cada ano a Receita Federal aprimore e melhore o formato da entrega, é bastante comum cometer erros e muitas vezes cair na malha fina, o que pode acarretar dores de cabeça e prejuízos financeiros futuros.

Por isso, o Conselho Regional de Contabilidade de Santa Catarina (CRCSC) novamente lança a campanha para a população procurar um profissional da Contabilidade para a declaração do IRPF. Afinal de contas, eles são formados em Ciências Contábeis e qualificados para cuidar das finanças das empresas e pessoas físicas.

“Esse é o dia a dia dos profissionais de Contabilidade, eles são especialistas em gerir finanças, analisar dados financeiros e justamente cuidar para que empresas e pessoas físicas não tenham dores de cabeça com a Receita Federal”, destacou o presidente do CRCSC, Marcello Seemann.

“A declaração do imposto de renda exige atenção em pequenos, as vezes mínimos detalhes, e esses deslizes podem custar caro se você cair na malha fina. Por isso, todo cuidado é pouco e um profissional da Contabilidade é preparado para analisar todos esses detalhes e fazer a declaração correta”, completou Seemann.

No entanto, ele destaca que ao escolher o profissional, deve-se verificar se o mesmo possui registro no CRC, ou seja, está habilitado para exercer a profissão. “O Conselho é o órgão responsável pela fiscalização do exercício da profissão. Além disso, há uma série de normas e princípios a serem seguidos, especialmente nosso código de ética. Por isso, é fundamental que o profissional seja registrado no Conselho”, alertou o presidente do CRCSC.

Confira os erros mais comuns listados pela Receita Federal na entrega do IRPF:

Segundo a Receita Federal, alguns erros são mais frequentes nas declarações. Isso é possível verificando o preenchimento da Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (DIRPF) e os modos de regularizar a situação.

  • Omissão de rendimentos do titular, em especial de uma segunda fonte, tais como honorários, aluguéis, aposentadoria/pensão e palestras;
  • Omissão de rendimentos de dependente;
  • Informação de valor de IRF maior do que o que consta na declaração do empregador;
  • Dependentes que não preenchem as condições, em especial por contarem de outra declaração ou terem apresentado declaração em seu nome;
  • Despesas médicas não realizadas, de titular e de dependentes e ainda de não dependentes relativas a consultas, Planos de Saúde e Clínicas;
  • Contribuições de empregadas domésticas não realizadas;

Os erros muitas vezes são por falta de atenção e podem ser evitados se houver a orientação de um profissional da Contabilidade. O contribuinte pode verificar a pendência através do extrato do IRPF no site da Receita Federal. Assim é possível corrigir o engano antes mesmo de ser intimado.