O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), através de seu presidente, Gustavo Montezano, revelou, que as pequenas empresas, micro e médias empresas representam o foco do banco durante a crise da pandemia do novo coronavírus.

Numa reunião da Comissão Mista do Congresso Nacional que acompanha a situação fiscal e a execução orçamentária e financeira de medidas relacionadas à pandemia, Gustavo disse que a prioridade do banco é como fazer o crédito chegar a esse segmento da economia.

Se fizermos uma comparação com grandes empresas, o aumento do crédito oferecido a micro, pequenas e médias empresas foi “modesto”, reconheceu Montezano.

Já em relação as grandes companhias, entre fevereiro e abril ocorreu um crescimento (no crédito) de R$ 100 bilhões, enquanto que para micro, pequenas e médias empresas, foi de R$ 10 bilhões (2%), afirmou.

Ele reconheceu que:

“De um lado você tem os bancos falando que estão emprestando mais – é verdade, estão emprestando mais, cresceram 2% em dois meses, o que a gente pode dizer que é modesto – e, de outro lado, você tem as empresas falando que falta crédito, o que também é verdade”.

Gustavo Montezano justificou que aconteceu uma demanda de crédito por empresas que não possuíam canais de crédito, nunca precisaram de crédito e agora precisam.

“Nossas fraquezas se revelam neste momento. A verdade é que o crédito sempre foi restrito para elas e, nesse momento de pandemia, isso fica mais latente e mais claro ainda. A nossa visão é de que a gente pode fazer mais”, ressaltou.

Entre as ações do governo, o presidente do BNDES disse que o Tesouro está assumindo o risco das operações. Nesse sentido, destinou R$ 16 bilhões para o financiamento para custeio e investimentos dos médios produtores rurais em atividades agropecuárias (Pronamp), R$ 20 bilhões de potencial, afirmou.

Terça-feira, (23), o Ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, prestará esclarecimentos aos parlamentares sobre as ações da pasta no enfrentamento da Covid-19. Outro que também deverá prestar esclarecimento ao Congresso Nacional, será o Ministro do Meio-ambiente, Ricardo Salles.

Fonte: UOL