Os cibercrimes não param de crescer e algumas categorias desse tipo de golpe podem causar prejuízos grandes aos consumidores. Uma pesquisa da Dimension Data – multinacional de tecnologia especializada em integração de rede, segurança e data centers – realizada com seus clientes em 58 países estima que quem compra presentes online corre o risco de perder entre US$ 50 e US$ 5 mil, ou R$ 160 e R$ 16 mil, por golpe.

Assim como ocorre no comércio, os cibercriminosos aproveitam a época para reforçar suas táticas e lucrar em cima dos incautos. Nas próximas semanas, a Dimension prevê um aumento em campanhas de phishing (golpe com isca) por e-mail, ataques de ransomware (sequestro de dados pessoais e arquivos digitais), trojans bancários (sites e e-mails falsos se passando por bancos reais) e sites fraudulentos que promovem ofertas fictícias como pacotes de férias.

“Cartões de presente falsos, que podem levar o usuário a um site não confiável ou permitir o download de um arquivo que pode comprometer o dispositivo, também se tornarão mais predominantes”, alerta o estrategista de segurança da Dimension Mark Thomas.

Outros truques usados são notificações falsas do status de entrega de encomendas, que levam o usuário a clicar em links maliciosos; e-mails indesejados de ofertas especiais, e recibos falsos de compras online que levam a vítima a abrir arquivos anexos que permitem o ransomware.

A variedade de aparelhos usados pelos consumidores para comprar online – celulares, tablets, laptops e computadores de mesa – e o fato de mais países possuírem uma largura de banda maior do que em outros anos também são apontados como fatores que estimulam o crescimento dos ataques na rede nesse mês de dezembro.

Os dados mais desejados pelos hackers são, segundo Thomas, os dados do cartão de crédito – para gastar o dinheiro e até o bônus anual da vítima – e informações de identificação pessoal como nomes de usuários, senhas e detalhes que sites acessam com frequência. De posse desse conteúdo, o criminoso pode usá-lo para se passar pela vítima em diversos sites e plataformas online.

Dicas para se precaver

  • Ensine crianças, pais idosos, e parentes que não são experientes na web para ficarem mais atentos aos detalhes na hora da compra, ou usar controles parentais nos celulares para impedir os filhos de realizar compras sem permissão;
  • Nunca use Wi-Fi público ao fazer compras online
  • Nunca abra e-mails, clique em links ou abra anexos de fontes desconhecidas
  • Garanta o download de aplicativos legítimos de fontes conhecidas e confiáveis em seus dispositivos
  • Nunca compartilhe seus nomes de usuário, senhas ou outras informações pessoais online
  • Use um app ou plataforma gerenciadora de senhas que permita armazenar e gerenciar com segurança todas as credenciais de um único local
  • Cuidado com e-mails não solicitados que prometem grandes ofertas, e não abra os anexos
  • Fique de olho no ícone visível de cadeado no navegador para confirmar a criptografia. Isso significa que o website em que você está comprando é uma loja segura e confiável.
  • Use seu cartão de crédito ao invés do cartão de débito
  • Não armazene os detalhes do cartão online ou logins e senhas de acesso aos sites de e-commerce
  • Certifique-se de que seu antivírus e sistema operacional estejam atualizados em todos os aparelhos
  • Cheque seus extratos bancários com frequência e imediatamente relate cobranças não autorizadas ou suspeitas ao seu banco.  Via UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Coloque seu comentpario
Coloque o seu nome

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.