Desconto INSS: Confira quais são as novas alíquotas de 2020

0

Considerando sua importância, existe uma grande busca sobre como calcular o desconto do INSS, mas as alíquotas de 2020 mudaram, conheça-as agora.

O INSS, Instituto Nacional do Seguro Social, é o principal responsável pelo pagamento da aposentadoria e os principais benefícios do trabalhador que contribuíram com a Previdência Social, com exceção apenas dos funcionários públicos.

A principal vantagem da contribuição é poder ter a garantia de um benefício mensal após determinadas condições que podem envolver tempo de trabalho ou até mesmo serem consequências de algum acidente no trabalho.

Em outras palavras, é através do INSS que o trabalhador pode garantir seus direitos em momentos específicos.

Para que ocorra essa contribuição ocorre um redirecionamento automático de uma porcentagem do salário do trabalhador e para entender como calcular o desconto do INSS, primeiro é preciso ter em mente que existem diversas variações a serem consideradas.

A contribuição também pode ser realizada voluntariamente por profissionais autônomos e empreendedores, desde que atendam condições específicas.

Por que o INSS é descontado do salário?

Antes de descobrir como calcular o desconto do INSS, devemos entender por qual motivo ele acaba sendo descontado do salário do trabalhador.

Para começar, o desconto ocorre a partir do empregador, que em seus processos de rotina deve destinar a porcentagem correspondente para a Previdência Federal, o que aumenta as chances do trabalhador ter seu direito garantido durante toda a sua vida profissional, já que a responsabilidade passa a ser da própria empresa.

A contribuição no processo passa a ser tanto do funcionário, quanto da própria organização, tornando-se um recurso para oferecer ao trabalhador assistências, como:

  • Aposentadoria por tempo de contribuição;
  • Aposentadoria por idade e invalidez;
  • Pensão por morte;
  • Auxílio-doença;
  • Auxílio-acidente;
  • Salário maternidade;
  • Salário família;
  • Reabilitação profissional; e
  • 13º salário.

Caso a contribuição não seja devidamente realizada pelo empregador, o trabalhador poderá recorrer judicialmente e garantir os seus direitos na comprovação de vínculo empregatício.

Como o INSS é descontado do salário?

O INSS é descontado da folha de pagamento do trabalhador, sendo o valor descontado diretamente do salário do funcionário, antes de ele receber o valor líquido.

O desconto é feito de maneira progressiva, mensalmente, e o valor é direcionado pelo próprio empregador para a Previdência Social, mas os valores variam de acordo com o salário bruto de cada profissional.

No caso de profissionais autônomos ou pessoas jurídicas, o pagamento deve ser realizado de maneira independente, respeitando os valores proporcionais ao faturamento e plano escolhido durante o cadastro para definir as taxas de aposentadoria ou auxílio no futuro.

É preciso entender melhor como funciona o recolhimento do INSS para pessoas jurídicas, já que o processo não é intermediado por um empregador, e o mesmo vale para o profissional liberal; que decidiu investir na Previdência pessoal, o que também impacta na forma de recolhimento.

Quais são as novas alíquotas do INSS?

Desde março de 2020, são aplicados políticas diferentes de alíquotas, conforme podemos verificar na seguinte tabela:

SALÁRIO-DE-CONTRIBUIÇÃO (R$)ALÍQUOTA PARA FINS DE RECOLHIMENTO AO INSS
até 1.045,007,5%
de 1.045,01 até 2.089,609%
de 2.089,61 até 3.134,4012 %
de 3.134,41 até 6.101,0614%

Conforme é possível ver, o recolhimento é totalmente baseado no salário de contribuição, podendo variar entre 7,5% a 14%,

Essas porcentagens foram alteradas recentemente, e pensando nessa possibilidade de responder de uma maneira ágil as mudanças do mercado e as novas regras em cada parte burocrática do negócio, estamos com o retorno do atendimento pessoal aqui.

Muitos negócios deixam de funcionar durante a pandemia, seja pelo difícil gerenciamento remoto até a falta de recursos para tal. 

Mas os serviços que a sua empresa tem necessitado, até então, continuam sendo demandados e se adaptaram ao cenário.

É o caso da contabilidade online, que é um serviço que nos ajuda a manter a empresa com pelo menos algo em ordem: os números.

Como Calcular o Desconto do INSS?

Os cálculos sugeridos para entender como calcular o desconto exato do INSS em diversos ambientes, já foi mostrado, mas é importante lembrar que ele pode variar, dependendo da origem esperada pelo profissional.

Dizemos que o investimento é progressivo, porque ele muitas vezes supera o valor estipulado inicialmente, conforme a seguinte tabela de faixas salariais de São Paulo:

Com todas as alterações propostas, o desconto do INSS passa a ser por faixa e até que se alinhe com o valor do salário bruto.

As parcelas são calculadas com base no mínimo e o máximo disso e o desconto do INSS.

Veja como fica o cálculo para um salário de R$ 3.000,00 como exemplo, que se encontra na 3ª faixa:

  • 1ª faixa salarial: 1.045,00 x 0,075 = 78,37
  • 2ª faixa salarial: [2.089,60 – 1.045,00] x 0,09 = 1.044,60 x 0,09 = 94,01
  • Faixa que atinge o salário: [3.000,00 – 2.089,60] x 0,12 = 910,40 x 0,12 = 109,24
  • Total a recolher: 109,24 + 94,01 + 78,37 = 281,62

Com este resultado é possível calcular a alíquota efetiva que se encontra em cerca de 9,39% (281,62 ÷ 3.000,00).

Caso o profissional não seja contribuinte ainda, mas busque alternativas para colher alguns benefícios de longo prazo,  existe a possibilidade de pensar sobre a contratação de uma empresa de seguros ou serviços que possam auxiliar diretamente na parte de educação dessa saga.

Uma das maneiras de fazer isso é com a contratação de um possível seguro de previdência privada , ou simplesmente previdência privada, para garantir que o profissional possa desfrutar dos benefícios desse tipo de seguro sem ser um colaborador convencional.

Qual a porcentagem de desconto do INSS sobre o salário?

A porcentagem de desconto do INSS sobre o salário deve variar de acordo com o número de salários mínimos recebidos por alguém, de maneira progressiva, ou seja, quanto maior o salário do profissional, mais ele terá que pagar para usufruir dos benefícios da previdência.

Essas variações de porcentagem são separadas em ao menos 4 faixas salariais:

  • 1ª faixa salarial: R$ 1.045,00 x 7,5% = R$ 78,38
  • 2ª faixa salarial: (R$ 2.089,60 – R$ 1.045,00) x 9% = R$ 1.044,60 x 9% = R$ 94,01
  • 3ª faixa salarial: (R$ 3.134,40 – R$ 2.089,60) x 12% = R$ 1.044,80 x 12% = R$ 125,38
  • 4ª faixa salarial: (R$ 6.101,06 – R$ 3.134,40) x 14% = R$ 2.966,66 x 14% = R$ 415,33
  • Total a recolher: R$ 78,38 + R$ 94,01 + R$ 125,38 + R$ 415,33 = R$ 713,10

Como você pode perceber, existe uma porcentagem máxima de 14%, sendo essa a alíquota mais alta disponível no momento.

Tabela de contribuição INSS (2020)

Até fevereiro de 2020, a alíquota máxima a ser paga para o INSS era de 11%, mas em março entrou em vigor um ajuste que reduzia a proporção das faixas salariais menores mas que as fizessem chegar em até 14%.

Assim como na tabela mostrada para informar o teste e o desconto sobre o INSS, a tabela de contribuição também informa dados parecidos:

Salário-de-contribuiçãoAlíquota para recolhimento ao INSS
até R$ 1.045,007,50%
de R$ 1.045,01 até R$ 2.089,609%
de R$ 2.089,61 até R$ 3.134,4012%
de R$ 3.134,41 até R$ 6.101,0614%

Portanto está mais fácil entender a responsabilidade fiscal com base no salário recebido.

Cálculo do salário líquido

O salário de todo profissional formalizado via CLT passa por uma série de pontos até chegar no funcionário, pois existem descontos legais que ocorrem no meio do processo.

Um dos primeiros descontos a ser realizado, deve ser o do INSS, o qual deve seguir os números informados neste artigo previamente, podendo variar entre 7,5% e 14%, mas isso no pior cenário.

Em seguida, deve ser realizada a busca que nos ajuda a calcular os descontos devidos em relação ao Imposto de Renda, que pode variar entre 0% e 27,5% de alíquota:

Base de cálculo (R$)Alíquota (%)Parcela dedutível (R$)
Até 1.903,980%0,00
De 1.903,99 até 2.826,657,5%142,80
De 2.826,66 até 3.751,0515%354,80
De 3.751,06 até 4.664,6822,5%636,13
Acima de 4.664,6927,5%869,36

Essa tabela pode ser seguida a risca, desde que o profissional não possua dependentes. 

No caso de planejamento financeiro, espera de novos membros da família, etc, é importante considerar a informação, pois pode afetar diretamente sobre o resultado final do salário líquido.

E por fim, é necessário lidar com outros custos, que normalmente partem muito dos benefícios disponibilizados pelo trabalho:

  • Plano de saúde;
  • Vale-transporte;
  • Empréstimos;
  • Contribuição sindical.

A conta final representaria em algo como isso: 

Do primeiro exemplo, vemos que os descontos e o salário líquido seriam de:

  • INSS: R$ 334,93
  • IRRF: R$ 104,96
  • Vale-transporte: R$ 204,00
  • Total em descontos: R$ 643,89
  • Salário líquido: R$ 3.400,00 – R$ 643,89 = R$ 2.756,11

Como você pode ver, o cálculo do salário líquido não é nenhum segredo, basta apenas aplicarmos a mesma , mas através dele passamos a entender um pouco mais sobre o interesse e a relação de todas as reduções com o salário líquido.

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

Fonte: Contabilizei