Descontos da folha de pagamento – Saiba mais a respeito

971

O que é a de

de é um documento trabalhista preparado por todas as pessoas jurídicas e equiparadas que possuam funcionários, normalmente feita Departamento de Pessoal e que deve retratar o valor das despesas com pessoal e encargos, referente a um mês de trabalho.

Deu a louca na Ensino Contábil, cursos de 80 a 110 reais (Saiba Mais)

É a descrição dos fatos que envolveram a relação de trabalho, de maneira simples e transparente, transformado em fatores numéricos, através de códigos, quantidade, referências, percentagens e valores, em resultados que formarão a de . Nela, o recibo de de cada empregado contribuirá para sua formação.

A de é uma obrigatoriedade mensal, devendo descriminar o nome do funcionário, salário, e outras informações, demonstração da base de cálculo de INSS, IRRF e FGTS, bem como seus respectivos , e o seu resultado como valor líquido que o empregado receberá, conforme estabelece a Consolidação das Leis Trabalhistas e a Lei Orgânica da Previdência Social.

na de

Todos os meses, antes de o funcionário da empresa receber o valor total de seu salário. verifica-se o número de faltas injustificadas que o servidor tenha registrado, a fim de que se procedam os respectivos , como o valor referente ao INSS, entre outros
O aviso de crédito (contracheque) deverá conter o discriminativo das importâncias pagas, dos valores descontados e do liquido a receber, registrados em campos próprios, para facilitar a visualização e conferência dos cálculos.
Quanto ao que se diz a lei em relação aos na de , consta o art. 462 da CLT: Ao empregador é vedado efetuar qualquer desconto nos salários do empregado, salvo quando este resultar de adiantamentos, de dispositivos de lei ou de contrato coletivo.

Abaixo, mostraremos os itens que se destacam nos da de .

Principais da de

  • Faltas (dias): São os dias que efetivamente o empregado não compareceu e não houve nenhuma forma que autorizasse o . Esses dias são utilizados para dedução da base de cálculo do INSS, IRRF e FGTS, também prejudicam no escalonamento das férias e 13º salário.
  • Atrasos (horas): essas horas são as que efetivamente o empregado não compareceu e não houve nenhuma forma que autorizasse o .
  • Vale Refeição: Apesar de não ser uma obrigatoriedade perante a lei, é muito comum encontrar empresas que forneçam o vale refeição ao empregado. Seu desconto é limitado por lei a 20% do valor entregue.
  • Vale Transporte: é um benefício entregue por força de lei, do valor entregue ao empregado, o empregador pode descontar no máximo 6% do salário base, isso se o valor entregue for maior, caso contrário, descontar o valor entregue.
  • Adiantamento Salarial: Qualquer adiantamento deve ser descontado na de .
  • Contribuição Sindical: é devida pelo empregado a contribuição de 01 dia de trabalho no exercício anual de sua atividade, normalmente ocorre o desconto em março de cada ano, porém caso não tenha sido descontada deverá ser feita no mês seguinte à admissão.
  • INSS: A contribuição destinada ao INSS obedece a tabela correspondente ao mês em que o serviço foi prestado, além disso, varia de acordo com a remuneração.
  • FGTS: O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço também é descontando da de . O valor é formado pelas contribuições compulsórias do empregador e a alíquota é de 8% em cima do valor total da de . Vale ressaltar que o valor correspondente ao FGTS deve ser depositado pelo empregador na conta do empregado na Caixa Econômica Federal.
  • Imposto de Renda: desconto compulsório determinado pelo Governo sobre o rendimento assalariado, depende do evento pago no recibo de ; após o desconto, o valor é recolhido aos cofres públicos da União no terceiro dia útil da semana seguinte ao , através da guia DARF.

Via tagplus

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.