Dia das Mães: 5 mulheres que conseguiram conciliar o empreendedorismo e a maternidade

Ter horários mais flexíveis é um dos motivos que motivam as mulheres a buscar o empreendedorismo

Ser mãe e empreendedora faz parte da rotina de muitas mulheres brasileiras. Elas acabam optando pelo empreendedorismo para contar com horários mais flexíveis e, muitas vezes, poder tomar as próprias decisões. No entanto, abrir o próprio negócio não é uma tarefa fácil e exige muito planejamento. Quando a mulher decide empreender, ela passa a ser responsável pela abertura e fechamento do negócio, sendo assim também terá uma carga de trabalho significativa.

Mesmo com todos os desafios, algumas mulheres conseguiram adaptar a sua rotina para conciliar o empreendedorismo com a maternidade. Para celebrar o Dia das Mães selecionamos cinco histórias inspiradoras de mães que abriram seu próprio negócio. Confira!

A paixão que virou um negócio

A empreendedora Júlia Usevicius Leonhardt Santos define sua rotina. Mãe de duas filhas: a Luanne de 8 anos e a Lara de 4 anos, a empresária passa a manhã no escritório. No entanto, às 13h30, já é a hora de levar as meninas à escola. Júlia começou a ter essa rotina a partir de 2017, quando abriu uma franquia da Milon, uma das marcas do Grupo Kyly, que atua no setor de moda infantil. Conhecida pela sua inspiração francesa e estilo clássico, a Milon se destaca no mercado brasileiro com 48 lojas. ?

Foi a paixão da empreendedora pelo setor mirim que a levou uma unidade da marca. “Já trabalhei em loja infantil e amava o que fazia. Quando minhas filhas já estavam maiores, vi a necessidade de procurar algo para mim. Então, eu e minha irmã decidimos buscar um negócio no ramo infantil. Encontramos esta oportunidade com a Milon, uma loja da qual já éramos clientes e amávamos as roupas”, diz a empreendedora. ??

Do agreste alagoano ao empreendedorismo

A empresária e biomédica Sanauá Morais Peixoto, de 27 anos, nasceu em uma cidade do interior alagoano. Mãe de duas filhas, uma de quatro anos e outra de nove meses, a empreendedora sempre gostou de atuar no setor de beleza. Em 2009, começou a trabalhar com análises clínicas e, na busca pela especialização, deu início a uma pós-graduação em estética três anos depois.

Em 2016, viu a oportunidade de abrir o seu próprio negócio em parceria com o marido: uma unidade da Emagrecentro, rede de franquias especializada em emagrecimento e estética. Para isso, juntou todas suas economias, além de vender seu automóvel e um imóvel, mas o sacrifício valeu a pena. No ano seguinte, a empreendedora já estava abrindo sua segunda unidade no estado de Alagoas. “Esse meu novo plano de carreira foi feito para que eu conquistasse satisfação pessoal e profissional, assim como mais tempo para conviver com a minha família. Hoje, temos tudo isso”, ressalta Sanauá.

Negócio entre amigas

Claudia Consalter é mãe de gêmeos e sua amiga, Ana Lúcia Massi, também tem dois filhos. Além da maternidade, as duas compartilham mais uma característica em comum: são empreendedoras e fundadoras da OrthoDontic, maior rede de clínicas de ortodontia do País. “Minha família sempre me incentivou a trabalhar para ser independente”, diz Claudia. As sócias são amigas de infância e decidiram empreender após o curso de Odontologia da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Elas criaram a OrthoDontic, ao lado de três colegas de faculdade, em 2002. Apesar de terem formação como dentistas, encontraram sua vocação em outras áreas — mas sem sair do “mundo” odontológico. Atualmente, Claudia atua na rede como Diretora de Marketing e Operações, enquanto Ana Lúcia é a Diretora Financeira da marca. Para as amigas, o equilíbrio entre empreendedorismo e maternidade é possível com muito planejamento. “Uma profissional e mãe feliz se torna uma mulher feliz”, afirma Claudia.

De olho nas tendências

Maitê Matheus Mahfoud Icibaci é dona de duas escolas de corte e costura em São Paulo. A empresária, que tem uma menina de três meses, sempre se interessou pelo segmento de moda. Por isso, fez um curso técnico na área para ter uma visão melhor sobre o mercado. Durante suas aulas, ela aprendeu sobre moda sustentável e percebeu que as pessoas estão valorizando peças mais artesanais. Para atuar nesse setor de forma mais efetiva, a empreendedora decidiu abrir uma franquia da Sigbol.

Empreendendo desde cedo

A carreira de Marcia Pinto Braga de Oliveira no ramo do comércio começou cedo, quando ela tinha apenas 15 anos e auxiliava sua mãe em um bazar que vendia diferentes utilidades, como utensílios de papelaria e doces. Aos 39 anos e com uma filha de três anos, Marcia tem três franquias da Nhô Sorvetes, no shopping Nova Iguaçu, na Estação Afonso Pena, Tijuca e no Madureira Shopping, todas no Rio de Janeiro.