Dicas para empresas que desejam voltar a Investir

Diretor financeiro traz um passo a passo para equilibrar o caixa das empresas e orienta empresários que querem voltar a investir

Após dois anos de pandemia, já é possível voltar a pensar em investimentos? A dúvida é comum tanto para empresários que estão começando a se aventurar no mundo dos negócios quanto para os mais experientes. Isto porque todos têm consciência de que são os investimentos em campos como inovação, tecnologia, novos talentos e sustentabilidade, por exemplo, que irão garantir o crescimento e continuidade da empresa.

Por outro lado, não é prudente ignorar o cenário econômico de incertezas deixado pelo coronavírus. Os dados da pesquisa realizada pelo Centro de Estudos de Mercado de Capitais da Fipe (Cemec-Fipe) mostram que, com a pandemia, o endividamento das empresas em 2021 aumentou em 28,3% em comparação com o ano anterior, e atingiu o maior percentual da década.

Mas, ainda assim, com atenção e planejamento, é possível fazer com que essas duas pontas se encontrem. É o que defende Jonatas Giovinazzo, CFO da Finnet, a fintech mais antiga do mercado brasileiro. O executivo reforça que conhecer o próprio negócio e ter visão realista são itens fundamentais para a retomada dos investimentos sem renunciar à saúde financeira. Confira abaixo as dicas do especialista:

Planejamento e controle frequente das despesas

Um orçamento detalhado pode ser muito útil na hora de acompanhar a execução do planejamento financeiro ao longo do ano e identificar as oportunidades de investimento. Uma falha que pode levar a grandes problemas no futuro é não controlar o fluxo de caixa, deixando de fazer os apontamentos corretos das receitas e despesas na menor frequência possível dentro da sua realidade. “Essa ação gera uma demora para identificar distorções entre o planejado e o realizado e, consequentemente, implica em demora para agir nos casos de mudanças de percurso”, explica Giovinazzo.

Crédito adaptado ao negócio

Outra maneira de garantir tranquilidade para os negócios e identificar chances de investimento, segundo o (cargo) da Finnet, é buscar parceiros financeiros que entendam a dinâmica da empresa, para que possam oferecer produtos de crédito adequados à sua realidade/necessidade. E isso envolve pesquisar e avaliar propostas com diversos bancos ou financiadores na hora de alavancar seu negócio. “É preciso analisar com muita atenção uma operação de crédito antes da contratação, principalmente nos juros, prazo, taxas adicionais existentes e garantias requeridas”, lembra.

Antecipação de recebíveis

Uma maneira de garantir fôlego e manter a capacidade de investimento para um crescimento sustentável dos negócios é a antecipação de recebíveis. “Por meio de soluções como o Antecipag, por exemplo, a empresa realiza a antecipação das vendas por cartão de crédito. A plataforma disponibiliza o acesso às maiores instituições financeiras do país, fazendo com que a empresa tenha sempre a melhor oportunidade de fazer negócio com a instituição que ofereça a menor taxa de juros”, destaca.

Por fim, o especialista reforça que é importante entender que não existe fórmula mágica para um planejamento ideal de um negócio. Mas o entendimento da dinâmica do produto/serviço e do mercado em que se está inserido é requisito básico. Planejar o futuro de forma detalhada (tanto nas receitas quanto nas despesas) e produzir cenários diferentes (otimistas e pessimistas) faz com que o gestor esteja preparado para encontrar as aberturas e retomar os investimentos.

Com mais de 18 anos no mercado, a Finnet é a fintech mais antiga do Brasil e referência no desenvolvimento e gerenciamento de softwares em nuvem para gestão financeira, gestão empresarial, automação de processos e transmissão de dados (EDI e RPA).

Comentários estão fechados.