O desemprego no Brasil subiu para 13,3% no trimestre encerrado em junho atingindo 12,8 milhões de pessoas, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Cerca de 8,9 milhões de postos de trabalho foram fechados em 3 meses em meio à crise no país com o novo coronavírus.

Esta é a maior taxa de desemprego desde o trimestre terminado em maio de 2017, quando também ficou em 13,3%.

Um outro levantamento da consultoria IDados também mostrou que 525 mil trabalhadores com diploma, entre 22 e 25 anos, estão exercendo ocupações de baixa qualidade e que não exigem faculdade, ou seja, são considerados sobre-educados.

A taxa de pessoas nesse tipo de ocupação no primeiro trimestre de 2020 chegou a 40% dos brasileiros nesta faixa de idade.

Diante deste cenário e de tanta concorrência, como conseguir o primeiro emprego dentro da área de formação?

Veja abaixo dicas de Erika Linhares, executiva especializada em habilidades comportamentais (soft skills) em organizações, pedagoga e palestrante.

Procure estágio o quanto antes enquanto estiver na faculdade. 

Assim, já irá adquirir alguma experiência.

Pessoas que deixam para procurar emprego após se formarem têm mais dificuldades do que aquelas que já estagiaram durante o período de estudo.

Cuidado com as altas expectativas. 

Nem sempre o primeiro emprego é a vaga dos sonhos ou o salário que tanto imaginava.

Regule as expectativas.

Quem foca em apenas encontrar a vaga e salário ideal, perde tempo.

Continue buscando o que quer, mas não deixe de aproveitar oportunidades que apareçam no caminho.

Saiba muito bem o que quer. 

Pesquise bem sobre o cargo que quer conquistar e quais empresas deseja trabalhar.

Busque informações sobre qual tipo de profissional a empresa procura e com quais qualificações.

Sabendo o que quer, trace o seu plano e corra atrás desse objetivo.

Quem não sabe o que quer, acaba não saindo do lugar.

emprego temporário

Seja uma pessoa antenada. 

Entenda o que acontece ao seu redor, leia notícias, mantenha-se atualizado.

Mesmo não tendo experiência profissional, é fundamental mostrar que está inteirado do que tem ocorrido no Brasil e no mundo.

Faça cursos, participe de eventos na sua área, vá a feiras e palestras.

Faça um bom currículo, mesmo sem ter experiência profissional. 

Descreva qual é a sua graduação, suas habilidades técnicas e quais línguas fala, por exemplo.

Descreva experiências acadêmicas notáveis e trabalhos voluntários.

Fale sobre seu TCC, monografias, intercâmbios, participação em congressos e seminários.

Lembre-se de situações em que se sentiu desafiado e conte como solucionou problemas.

Preocupe-se com a sua marca pessoal. 

Cuide bem da imagem de si mesmo que está passando aos outros e às empresas.

O currículo é uma propaganda de suas habilidades.

Seja você mesmo. Não elabore mentiras para impressionar.

Quanto mais sincero e honesto for, mais transmitirá verdade ao entrevistador.

Conte também no currículo sobre sua capacidade de resolver problemas, de ter empatia, saber inovar, etc.

Hoje, as empresas contratam, demitem e promovem pessoas de acordo com as suas habilidades comportamentais.

Divulgue a si mesmo. 

Entre nos sites de empresas que gostaria de trabalhar e cadastre seu currículo.

Vá atrás de agências de emprego e ative seu networking.

Fale com amigos, pessoas com quem estudou, professores, etc.

Faça com que os outros lembrem de você e saibam que está procurando uma colocação.

Com quase 40 mil seguidores no Instagram, Erika Linhares, que é casada e tem uma filha, de 11 anos, e um enteado de 9, é bem ativa nas redes sociais.