Já faz algum tempo que o consumidor brasileiro escuta falar sobre cupom fiscal. O próprio governo repete exaustivamente os principais slogans de uma campanha que estimula o comprador a exigir seu cupom fiscal quando faz qualquer aquisição e nesse post iremos explicar as diferenças de cupom fiscal x NFCE

É sabido também que existe um viés de interesse por parte do governo ao estimular esse pedido. A fiscalização da Receita Federal tem total interesse que toda venda seja devidamente registrada, afinal dessa forma impede que as empresas soneguem os valores arrecadados.

O ponto é que muitos consumidores ficam um tanto perdidos sobre o assunto. Experimente perguntar na rua as diferenças dos documentos obrigatórios que uma loja deve emitir ao realizar uma venda. Muitos irão se complicar nas definições.

E de fato há grande confusão entre dois dos documentos mais importantes nesse processo. Você sabe quais são as diferenças de um cupom fiscal e uma nota fiscal do consumidor eletrônica? Caso não saiba, confira tudo sobre eles a seguir.

Os documentos obrigatórios: cupom fiscal e nota fiscal

Os dois documentos que costumam gerar dúvidas por parte dos consumidores e que são obrigatórios para as lojas são justamente esses dois citados: cupom fiscal e nota fiscal.

Para entender melhor as diferenças entre os dois é importante primeiro compreender qual a finalidade de cada um desses documentos, afinal não existiriam dois documentos para uma mesma razão. São diferenças importantes e que você deve saber.

O que é um cupom fiscal?

Vamos começar pelo cupom fiscal. Esse documento é emitido para o consumidor final após a realização de uma compra. Ele é a comprovação fiscal e formal dessa transação realizada entre empresa e cliente.

O cupom fiscal é emitido por um emissor específico (Emissor de Cupom Fiscal) e traz informações como a descrição e o valor do produto, além de data da compra, forma de pagamento e valor realizado (com troco, se houver).

O que é uma nota fiscal?

A nota fiscal pode confundir-se de maneira geral com o cupom fiscal para a grande população, mas na prática não é um documento tão parecido. Ela é muito mais completa e traz informações adicionais ao que informa um cupom fiscal.

Você já deve ter ouvido alguma vez a frase “não aceite cupom fiscal, exija sua nota fiscal”. É justamente em função disso: esse documento tem maior valor sobre o cupom fiscal e é o principal documento fiscal, comprovando as transações realizadas entre empresa e cliente de maneira oficial.

Tudo que está no cupom fiscal (produto, descrição, data e hora, pagamento, etc.) também constará na nota fiscal. Aqui, porém, também haverá o adendo de novas informações.

É o caso da circulação de mercadorias, informação de serviços prestados (em caso da execução de serviço e não da venda de produtos) e doações realizadas. Importante lembrar que a parte tributária que compõe o preço final é mais facilmente encontrada na nota fiscal.

A emissão desse documento também é diferente do cupom fiscal já que se origina no sistema de venda da loja. A tecnologia vem tornando o processo ainda mais ágil na medida em que a nota fiscal do consumidor já pode ser eletrônica – e acessada facilmente após a compra.

Diferenças de Cupom fiscal x NFCE

Nas descrições já apresentamos algumas diferenças de cupom fiscal x NFCE entre os dois principais documentos fiscais utilizados dentro do Brasil. O primeiro deles está na emissão do documento, afinal são originados de plataformas diferentes.

Outro ponto que também já foi abordado é a quantidade de informação presente em cada documento. A nota fiscal é muito mais completa do que o documento fiscal. Não por acaso alguns produtos só aceitam troca ou correção quando apresentados com a nota fiscal (especialmente eletrônicos).

Importante observar também que um documento não substitui o outro. Ambos devem ser obrigatoriamente emitidos para evitar dores de cabeça aos proprietários do negócio.

Caso uma empresa deixe de emitir uma nota fiscal ou um cupom fiscal poderá ter problemascaso o cliente entre na justiça. Ela poderá ser multada como sonegadora de impostos. Isso, claro, nenhum proprietário quer.

Precisa de ajuda na emissão de documentos fiscais?

Caso você seja proprietário de loja não pode ter qualquer dúvida sobre a emissão desses dois documentos fiscais. Os riscos atuais não compensam a omissão deles, ainda mais com a evolução tecnológica que vem promovendo a Receita Federal.

Se por alguma razão você encontrar dificuldades com a terminologia, com as definições e principalmente com a emissão desses documentos fiscais não deixe de entrar em contato com a Rtek.

A Rtek é especialista na gestão de negócios e possui conhecimento mais do que suficiente para garantir tudo que a sua empresa precisa em termos de documentos fiscais.

Não deixe também de trabalhar com uma máquina de emissão de documentos fiscais sempre atualizados e conforme as regras atuais do governo. Evite problemas que possam gerar multas e sanções previstas pelas regras vigentes no nosso país.

Via Rtek

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.