Dinheiro esquecido em bancos, divulgado valor médio e liberado nova rodada

Nova rodada de resgates começa nessa segunda, veja qual deve ser o valor médio por pessoa

A notícia de que milhares de pessoas tinham dinheiro ‘esquecido’, em bancos para receber animou e muito diversos brasileiros que acreditavam e ainda acreditam ter uma bolada para receber de volta.

No entanto, em recente liberação boa parte do público que já teve o valor divulgado ficou frustrado com os valores a receber, isso porque, da mesma forma que muitas pessoas possuem valores razoáveis para receber, outras pessoas acabam se frustrando com o pouco que de fato possuem para resgate.

Nova rodada de resgates começam nesta segunda

A partir desta segunda-feira (14), o Banco Central (BC), libera uma nova rodada de dinheiro esquecido em bancos para um novo grupo.

Desta vez, os brasileiros nascidos entre 1968 e 1983 vão poder consultar quanto cada pessoa tem para receber, além de solicitar o resgate de valores via Pix.

Vale lembrar que os cidadãos nascidos nesse período devem se atentar ao horário ao qual o sistema convocou os mesmos para a verificação dos valores e a solicitação do resgate que pode acontecer das 4h às 14h ou das 14h até meia-noite.

Os demais brasileiros precisam se atentar ao calendário para saber quando terão o montante liberado para consulta, assim como para a solicitação do resgate dos valores.

Confira o calendário:

Data de nascimento (pessoa) ou de criação (empresa)Período de agendamento (consulta e resgate)Data de repescagem (para quem perder a data agendada)
Antes de 1968de 07 a 11/312/3
Entre 1968 e 1983de 14 a 18/319/3
Após 1983de 21 a 25/326/3

Valor médio por pessoa

Segundo informações do Banco Central, o valor médio devolvido por CPF ou CNPJ será de R$ 142,85. Todavia, vale lembrar que esse valor é uma média.

Sendo assim, várias pessoas podem ter valores superiores a este para receber, assim como tantas outras pessoas terão valores bem abaixo disso para também resgatarem.

Programa terá outra fase

Para essa primeira fase do programa, o BC informou que 26 milhões de pessoas e 2 milhões de empresas terão um montante total de R$ 3,9 bilhões devolvidos.

Contudo, já temos uma definição de uma segunda fase do programa que deve acontecer a partir de maio, e está prevista para liberar mais R$ 4,1 bilhões às pessoas e empresas.

Na primeira fase que está sendo liberada, os valores devolvidos são provenientes das seguintes situações:

  • Contas encerradas que tinham dinheiro;
  • Parcelas de empréstimo;
  • Tarifas cobradas indevidamente;
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito;
  • Recursos que costumam não ser pesquisados após encerramento de grupos de consórcio;
  • Capital a devolver em cooperativas de crédito.

Já na segunda fase prevista para maio, os valores serão provenientes das seguintes situações:

  • tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, previstas ou não em Termo de Compromisso com o BC;
  • contas de pagamento pré-paga e pós-paga encerradas com saldo disponível;
  • contas de registro mantidas por corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários encerradas com saldo disponível; e
  • outras situações que impliquem em valores a devolver reconhecidas pelas instituições.

Comentários estão fechados.