Frequentemente nos dizem para não sentirmos emoções ruins, mas esquecem que algumas são intrínsecas ao ser-humano e precisam ser impulsionadas de maneira positiva

“Engole o choro, moleque! Já ouviu algum pai falando isso para o filho? É desse jeito que aprendemos a não extravasar o que estamos sentindo. O resultado é um caos: adultos que não choram quando estão tristes e não colocam a raiva para fora quando a sentem. – Andreza Caricio em Todo Santo Dia

Autora de Todo Santo Dia, obra que já vendeu 10 mil exemplares em plena pandemia, Andreza Carício percebeu em sua busca pela evolução que todo mundo acredita que é feio ter raiva, que esse sentimento deve ser eliminado.

O resultado desta crença é que as pessoas reprimem essa sensação e acabam potencializando-a.

É necessário entender o nosso corpo para poder direcionar as impressões mentais negativas, em sua obra, Andreza fala sobre isso.

Quando nos sentimos ameaçados o que aflora em nosso coração é o medo e a raiva sentimentos muito interligados, e a partir disso o corpo libera adrenalina o que faz com que fiquemos prontos para fugir (medo) ou lutar (raiva).

Portanto, a autora nos mostra que devemos desenvolver todo o tipo de sentimento e, assim, controla-los.

Isso fará com que não ajamos com impulsividade, e que não sejam descontados na gula, na bebida alcoólica, ou mesmo em uma discussão com alguém.

Em Todo Santo Dia, Andreza enfatiza que na prática, a atitude poderosa é direcionar a sua raiva para uma ação produtiva. Como?

– Quando a raiva chegar, coloque seu corpo em movimento. Assim, a adrenalina será dissipada de uma forma correta. Ainda, será liberada a endorfina, responsável pelo bom humor.

Medite! É importante entender de onde vem a raiva, para eliminá-la do corpo de forma produtiva.

– Não se reprima! A raiva guardada pode gerar problemas no estômago e contaminar teu sangue. Se cuide!

Impulsione sua raiva de maneira positiva! 

Por Andreza Caricio