Os contadores têm cometido dois erros graves que, inconscientemente auxiliam no aumento da inadimplência, bem com a perda de clientes durante este período de crise econômica decorrente da pandemia da Covid-19.

Isso porque, a mentalidade do contador que só entrega a conformidade é mais habitual e confortável do que o estrategista, que trabalha efetivamente no intuito de resolver os problemas financeiras dos empresários.

Se tratando da zona de conforto do contador, é necessário que os itens sejam revistos a fim de obter resultados expressivos e imediatos, especialmente no que se refere ao aumento do ticket médio durante a crise.

De acordo com dados do Sebrae, mais de 600 mil micro e pequenas empresas encerraram as atividades durante a pandemia.

E ainda que não saibam, isso reflete diretamente no cenário em que, muitos empresários priorizam o pagamento dos honorários contábeis, enquanto outros, preferem migrar para os profissionais barateiros. 

Nas primeiras semanas de proliferação do novo coronavírus, o Governo Federal anunciou mais de 20 medidas provisórias que resultaram na atenção redobrada por parte dos contadores.

Isso porque, assim como estes profissionais, muitas empresas tiveram que se adequar ao novo quadro, seja pelos ajustes dos contratos trabalhistas, contribuições tributárias, entre outros.

Portanto, é fácil observar que, o suporte tradicional da contabilidade não é mais o suficiente.

As empresas precisam de um acompanhamento constante e singular para se destacar neste momento.

1° Focar somente em assuntos trabalhistas e tributários

O contador precisa orientar o empresário para trazer recursos para o negócio.

Isso pode acontecer através do reposicionamento do serviço oferecido, como na exposição pela internet, por exemplo.

É uma alternativa que pode contar com o apoio do contador, ao estimular o uso de ferramentas que podem ser vantajosas para o empreendimento.

Isso permite o pagamento dos honorários, além de, o contador poder indicar que a empresa tenha aporte de capital.

Essa é a oportunidade dos sócios debaterem sobre a remuneração e investimento na empresa. Além disso, também existe a possibilidade de convidar mais sócios para o negócio, visando obter mais recursos.

Outra possibilidade é a recomendação de um empréstimo, desde que realizado de maneira consciente.

Considerando a queda na taxa da Selic que hoje é inferior a 3% ano, pode ser viável trocar uma dívida velha por uma nova que ajudará a reduzir o valor total, isso inclui os gastos com juros.

Quando o empresário e o contador estiverem alinhados e focados no objetivo, será possível realizar um fluxo de caixa para descobrir quais os principais gastos e despesas da empresa, além de saber corretamente como realizar um novo investimento e valorizar o trabalho deste profissional.

Sendo assim, após projetar as movimentações referente a um futuro próximo, será possível entender como será o faturamento da empresa. 

Controle financeiro

O erro de muitos contadores é não se envolver na parte financeira do cliente, o que pode parecer um confuso e até mesmo absurdo tendo em vista o propósito das atividades deste profissional.

Esta é a oportunidade de ouro que está na frente dos contadores pronta para ser utilizada.

Isso porque, antes da chegada da pandemia no Brasil, já haviam cerca de 2 mil empresas em processo de falência decorrente de erros gestacionais.

Ainda assim, o erro mais comum é o financeiro. 

Para contornar a situação, o contador tem a opção de utilizar o Business Processing Outsourcing (BPO), terceirizando as atividades financeiras através de uma empresa responsável pelo processamento destes dados.

Assim, é possível fornecer ao cliente informações que antes ele não fazia ideia, e que podem ser definitivas na tomada de decisões. 

Ao longo dos anos, o contador assumiu uma série de atividades que não era da competência dele inicialmente.

Por outro lado, foram primordiais para valorizar a profissão e otimizar os serviços prestados aos clientes, através de resultados significantes. 

Não vender

Um dos maiores problemas acontece quando o contador para de prospectar clientes, o que levou muitos empresários a fecharem as portas por não enxergarem soluções viáveis, além de não quererem correr um risco maior.

Há casos em que o contador não consegue convencer o empreendedor do contrário, acontece.

Ainda hoje, também existem muitos contadores que têm vergonha de captar clientes através de vendas, talvez por insegurança ou qualquer outro motivo. 

Além disso, o código de ética do contador alega que as vendas mancham a imagem dos colegas de profissão, por acreditar ser necessário denegrir um profissional em favorecimento de outro.

O que o regimento ainda não observou é que, não é bem assim que a questão funciona, e que a situação precisa mudar.

No caso de serviços complexos, como os prestados no setor contábil, primeiramente é necessário ajudar sem esperar nada em troca.

Isso pode ser feito através de uma simples dica sobre oportunidades que passaram despercebidas por um cliente, bem como alguma ameaça, e explicar como solucionar o problema.

DICA EXTRA JORNAL CONTÁBIL: Imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

O nosso parceiro Viver de Contabilidade criou um programa completo que ensina tudo que um contador precisa saber no dia a dia, Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa da Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.