A Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), se trata de um diferencial no mundo contábil ao dispor de dados essenciais sobre o funcionamento da empresa.

Este processo é apresentado durante a formação do profissional de contabilidade, a fim de orientá-lo sobre o formato de abordagem diante dos primeiros débitos e créditos que envolvem operações de venda.

A principal finalidade do DRE também pode ser definida por auxiliar no entendimento dos dados puros, além de promover uma revisão analítica.

O DRE na contabilidade

A Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), pode ser entendida como uma representação detalhada sobre a situação financeira de um empreendimento.

Ao considerar os relatórios contábeis essenciais a serem apresentados a um empresário, a DRE está entre os principais, junto com a relação de balanço patrimonial.

Entretanto, apesar de parecer um documento completo, é necessário um entendimento básico para interpretá-la.

Isso ressalta a necessidade da atenção do contador na hora de fazer as devidas apresentações ao cliente.

A prestatividade ao demonstrar minuciosamente todas as características e informações sobre a DRE, pode ser o diferencial de um contador para outro ao criar um vínculo com o empresário.

Portanto, essa dedicação também pode ser aplicada na adequação do documento que, se for bem elaborado, pode resultar em lucros para a empresa, além de apresentar detalhadamente quais atividades contribuíram positivamente para o resultado final.

A DRE também possibilita um estudo da carga tributária, visando gerar a redução de impostos.

Como fazer a DRE?

A DRE contábil é regida pela Lei 6.404/1976, dispondo um padrão que deve ser seguido por todas as empresas.

Ainda assim, há a possibilidade de apresentar variações como as despesas, custos e receitas entre cada nicho empresarial, que devem ser integradas ao modelo estipulado.

O artigo 187 da referida Lei, discrimina:

  • A receita bruta das vendas e serviços, as deduções das vendas, os abatimentos e os impostos;
  • A receita líquida das vendas e serviços, o custo das mercadorias e serviços vendidos, bem como, o lucro bruto;
  • As despesas com as vendas, as despesas financeiras, deduzidas das receitas, as despesas gerais e administrativas, além de outras operacionais;
  • O lucro ou prejuízo operacional, as outras receitas e as outras despesas;
  • O resultado do exercício antes do imposto sobre a renda e a provisão para o imposto;
  • As participações de debêntures, empregados, administradores e partes beneficiárias, ainda que na forma de instrumentos financeiros, e de instituições ou fundos de assistência ou previdência de empregados, que não se caracterizem como despesa;
  • O lucro ou prejuízo líquido do exercício e o seu montante por ação do capital social.

É necessário ressaltar que a DRE deve ser elaborada conforme o regime adotado pela empresa, e não sobre o fluxo de caixa, questão que pode gerar dúvidas.

Sendo assim, caso a empresa realize uma compra de R$1.000,00 com materiais para trabalho, e o valor seja dividido em quatro parcelas, a apresentação na DRE será sobre a despesa que ocorreu na competência.

Se fosse o caso de apresentar o fluxo de caixa, o valor seria acrescentado conforme as quatro parcelas de R$ 250,00, ao considerar apenas as que já foram debitadas.

DRE na contabilidade

Utilidade da DRE na contabilidade

Por vezes os empreendedores estão acostumados a pensarem somente no saldo presente em caixa, sem terem noção da real utilidade desse relatório para o controle financeiro.

Assim, a DRE permite analisar os lucros e prejuízos da empresa, entre demais informações cruciais para a manutenção e desenvolvimento da mesma.

Portanto, basta realizar uma análise rápida para identificar despesas que podem ser reduzidas.

DRE Analítica

A Demonstração do Resultado do Exercício também permite as mais variadas análises contábeis, como:

Análise vertical

Este modelo possibilita o cálculo do percentual de cada empresa, abrangendo os custos com receitas entre outros referentes ao faturamento bruto do negócio.

Assim, será possível destacar as despesas que contribuem significativamente no aumento do lucro por determinado período.

Análise horizontal

Esta, visa distinguir os aumentos e reduções de cada despesa atribuída a um determinado período, permitindo a análise criteriosa sobre cada mês corrido.

Além disso, também facilita a identificação de valores discrepantes que necessitam ser revisados.

Indicadores de resultados

A DRE também oferece um extenso banco de dados que somam à análise financeira como um todo.

Como:

  • EBITDA: esse indicador significa (Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), e serve para avaliar a realidade financeira de empresas de capital aberto;
  • Margem operacional: é o indicador que mede a eficiência operacional da empresa, dado pelo quociente entre o resultado operacional e a receita líquida;
  • Margem de lucro líquida: é a margem de lucro real, com todas as despesas e impostos subtraídos.

A importância do gerenciamento dos processos

Para que a DRE realmente exerça a função principal de análise e controle de gastos, é necessário que o entendimento do empresário sobre não mascarar nenhuma transação, ainda que sem intenções maliciosas, ou por puro descuido.

Se realizada adequadamente, a DRE pode poupar tempo para o contador ao fazer os lançamentos manuais, garantindo a veracidade das informações fornecidas.

DICA EXTRA JORNAL CONTÁBIL: Imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

O nosso parceiro Viver de Contabilidade criou um programa completo que ensina tudo que um contador precisa saber no dia a dia, Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa da Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.