E-commerce aproxima empresas e clientes em poucos cliques

Meios digitais possibilitam negócios atrativos para empreendedores e consumidores

0

O e-commerce ajuda a economizar na medida que dispensa alguns gastos que uma loja física possui, mas essa não é a única vantagem.

Com menos custos, as empresas podem oferecer produtos com preços mais acessíveis e, como consequência, atraem mais clientes.

Os consumidores são beneficiados com economia, praticidade e agilidade.

As compras digitais diminuem em grande parte dos intermediários entre os processos de compra (para os consumidores) ou venda (para os empreendedores).

Professora de Economia da Universidade Feevale, Lisiane Fonseca da Silva cita várias vantagens para as lojas virtuais: “Eu acho que de um modo geral está relacionado com a abrangência de clientes, pois você sai da tua área geográfica e pode ser acessado por outros indivíduos, de outras regiões.

E a própria questão de como a empresa se apresenta. A dinâmica on-line é muito grande”, considera. 

“Uma vantagem que considero muito significativa é conhecer melhor o cliente, qual tipo de produto ele pesquisa e adquire, os dias da semana que têm mais vendas, qual tipo de produto vende mais numa época ou outra.

Você tem um comércio que funciona 24 horas por dia, conhece melhor o teu consumidor na medida que essas estatísticas estão lá registradas para serem verificadas e tem ainda essa questão da abrangência geográfica que acaba se tornando mais ampla”, pontua Lisiane, como principais aspectos positivos. 

Na Werle Comercial, empresa sediada em São Leopoldo (RS) com mais de 30 anos de atuação no mercado de distribuição de bebidas, o e-commerce é uma realidade presente nas operações há mais de dois anos.

Quando a pandemia do novo coronavírus fez o mundo dos negócios virar de ponta-cabeça, a loja virtual já estava consolidada. 

Os processos desde que o internauta acessa a página www.werlecomercial.com.br até o recebimento do seu pedido são ágeis e seguros.

O usuário entra no site, pesquisa o que deseja, preenche os dados e efetua o pagamento.

Então, é normal que ele queira receber a sua encomenda intacta e o mais rápido possível.

Especialistas apontam que atingir um bom volume de negócios nos meios digitais exige capacitação, investimento, persistência, constante atualização, inovação e também entender as necessidades dos consumidores, que estão cada vez mais informados sobre tudo e em busca por novidades o tempo todo.

E para que essas questões sejam resolvidas com êxito, os empreendedores têm uma importante aliada: a tecnologia.

Todos os recursos disponíveis podem e devem ser usados a favor de quem vende e de quem compra. 

De acordo com a empresária Delci Werle, as vendas on-line representam cerca de 20% do total dos negócios fechados pela distribuidora de bebidas atualmente, mas a tendência e o objetivo é chegar a 50% do faturamento até o final do ano.

“A escolha pela plataforma ideal é crucial para o sucesso do e-commerce. Deve ser rápida, responsiva e fácil.

Em função da pandemia muitos consumidores que não compravam por Internet acabaram optando por este canal.

Se a experiência de compra destes consumidores foi boa em sua loja, o cliente acaba sendo fiel”, define Delci.

A economista Lisiane corrobora com a opinião da empresária. “Uma questão que é bem importante e que esse conhecimento do consumidor acaba proporcionando é ter um atendimento mais direcionado para ele a partir deste perfil.

Designed by @yanalya / freepik
Designed by @yanalya / freepik

A empresa trabalha com bebidas. Você conhece o perfil do consumidor que vai comprar o suco, que vai comprar o gin, que vai comprar os vinhos

E a partir disso se estabelece uma relação”, exemplifica. 

A logística também tem importância dentro de todo o processo. “A Werle Comercial é uma distribuidora de bebidas e o e-commerce é um canal de vendas dentro da empresa exclusivamente para quem tem CPF”, explica Delci.

“A pessoa pode comprar a quantidade que quiser e a gente vende para todo o Brasil. A entrega é feita por transportadoras parceiras”, destaca Delci.

Pessoas jurídicas (com CNPJ) – mercados, supermercados, atacados, lojas e outros tipos de estabelecimentos comerciais – são atendidos por uma equipe externa na região da Grande Porto Alegre, num eixo de até 100 quilômetros da sede localizada em São Leopoldo.

Gestão, pagamentos, anti-fraude e monitoramento

Entre as medidas adotadas na Werle Comercial está a utilização de um sistema de um sistema de gestão para sua loja virtual, que entre as suas principais qualidades está a emissão de nota fiscal eletrônica (NFe), contas a pagar e receber e o controle de estoque integrado à loja virtual.

Assim, é possível ter o controle total sobre o giro das mercadorias e o fluxo financeiro.

Os pagamentos são liberados de forma automática no sistema por meio de gateway de pagamentos.

Todo esse processo necessita também de recursos para evitar fraudes. “Os pedidos entram na plataforma e a mesma envia direto para o sistema de antifraude, com um banco de dados que valida este pedido.

Se não fosse a tecnologia, seria inviável fazer manualmente.

Como no comércio eletrônico temos muitas fraudes com pagamentos, este sistema é vital para a viabilidade do negócio”, destaca Delci.

“Além disso, temos os sistemas inteligentes, que auxiliam na parte estratégica para que efetivamente as vendas aconteçam. Não adianta só ter a loja on-line.

É preciso chegar no cliente potencial. Isto exige tecnologia e sistemas de monitoramento, inclusive com relatórios analíticos para a tomada de decisões”, emenda.

Equipe capacitada

Mesmo com o investimento em software e hardware, a empresária enfatiza que não é possível abrir mão da preparação humana.

“Tão importante quanto a tecnologia são as pessoas que operam, pois os sistemas somente serão eficientes se o recursos disponíveis forem explorados corretamente”, defende.

Os profissionais precisam estar capacitados e atualizados em cada etapa do trabalho.