Supervisor tributário da Easy-Way do Brasil alerta que nova obrigação vai proporcionar mais agilidade e eficiência à área de fiscalização da Receita
Há seis meses da entrega da primeira Escrituração Contábil Fiscal – ECF, as empresas ainda têm um longo caminho pela frente para se prepararem para a nova obrigação que irá substituir a Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica – DIPJ. O prazo final para a entrega da ECF referente ao ano-calendário 2014 é dia 30 de setembro.

“A consistência das informações deve ser o guia na orientação de todas as empresas nessa fase de preparação para a entrega da ECF”, diz Marcelo Ferreira, supervisor tributário da Easy-Way do Brasil, uma das maiores desenvolvedoras de sistemas tributários, fiscais e contábeis do país e uma das participantes do Projeto Piloto da Receita Federal do Brasil – RFB sobre a ECF.

[useful_banner_manager banners=12 count=1]

Segundo o especialista, a ECF vai permitir que a RFB realize uma comparação entre os dados referentes ao Imposto de Renda Pessoa Jurídica – IRPJ e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido – CSLL com os dados vinculados ao Sped Contábil. “Isso vai permitir um rastreamento dessas informações que não existia até então e vai proporcionar muito mais eficiência e agilidade à área de fiscalização da Receita Federal”.

Ferreira sugere que, nessa fase de preparação para a nova obrigação, as empresas estudem cada detalhe da ECF e façam uma comparação entre o que será exigido e o que já é informado por meio do Sped Contábil para diminuir os riscos de inconsistência de dados e inclusão na malha fina de pessoas jurídicas da RFB.

“Outra opção é a empresa investir na automatização desse processo de forma a reduzir esse risco de erros e as consequentes autuações que poderiam resultar dessas inconsistências”, orienta o supervisor tributário da Easy-Way.

A ECF uniformizará dados e tratativas fiscais. Por outro lado, o programa exigirá um maior número de informações por parte das empresas. A apuração a ser realizada durante o ano-calendário servirá como base para a geração da nova obrigação, bem como dos controles relativos ao Livro de Apuração do Lucro Real – e-LALUR e do novo Livro de Apuração da Contribuição Social – e-LACS, requisitos integrantes do programa. Já a obrigação referente à impressão e encadernação do LALUR deixará de existir.

Quem não entregar a ECF no prazo ou remetê-la com atraso fica sujeito à multa equivalente a 0,25%, por mês-calendário ou fração, do lucro líquido antes da incidência do imposto sobre a renda e da contribuição social sobre o lucro líquido, no período a que se refere à apuração, limitada a 10%.

Sobre a Easy-Way do Brasil
Uma das maiores desenvolvedoras de softwares tributários, contábeis e fiscais, a Easy-Way do Brasil é referência desse setor no mercado nacional. A empresa oferece sistemas para atender as principais obrigatoriedades das esferas federal, estadual e municipal.

Fundada em 1991, em São Paulo, a Easy-Way do Brasil surgiu com o objetivo de terceirizar serviços de auditoria de sistemas e logo passou a desenvolver softwares tributários. Atualmente, a empresa possui uma ampla gama de produtos que abrangem as necessidades das empresas nas áreas tributária, fiscal e contábil.

Dessa forma, a Easy-Way do Brasil possui em sua carteira de clientes grandes nomes como Bradesco, Ambev, Banco Votorantim, Vivo, Yamaha, Embraer, Klabin, Brasil Foods, Unilever, White Martins, dentre várias outras.

[useful_banner_manager banners=11 count=1]