A EFD-Reinf — Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais foi instituída pela Instrução Normativa da Receita Federal do Brasil n. 1701/2017 e faz parte do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), complementando o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais e Trabalhistas (eSocial).

O objetivo da EFD-Reinf é promover a escrituração dos rendimentos pagos e respectivas retenções, tanto de Imposto de Renda quanto de Contribuição Social (exceto as que se relacionam ao trabalho), e informação a respeito da receita bruta para fins de apuração das contribuições previdenciárias substituídas.

A seguir, apresentamos mais informações sobre essa modalidade de escrituração. Acompanhe a leitura!

Obrigatoriedade de entrega

Os prazos estabelecidos para adoção do módulo EFD-Reinf variam de acordo com o tipo da organização e o faturamento apurado no ano de 2016:

  • empresas que tiveram faturamento superior a R$ 78 milhões em 2016 são obrigadas a utilizar esse formato desde 1º de maio de 2018 (primeira data de entrega);
  • as demais empresas, ou seja, aquelas que tiveram faturamento igual ou inferior ao valor de R$ 78 milhões em 2016, devem adotar a EFD-Reinf a partir de 1º de novembro de 2018; e
  • entes públicos, componentes da Administração Pública, estão obrigados a adotar a EFD-Reinf somente a partir de 1º de maio de 2019.

Informações apresentadas por meio da EFD-Reinf

São diversas as informações que devem ser entregues via EFD-Reinf. Dentre elas, destacamos as relacionadas:

  • aos serviços tomados ou prestados mediante cessão de mão de obra ou empreitada;
  • às retenções na fonte (relativas a IR, CSLL, COFINS, PIS/PASEP) que incidem sobre os pagamentos realizados a pessoas físicas e jurídicas;
  • aos recursos recebidos ou repassados para associações desportivas que mantenham equipe de futebol profissional;
  • à comercialização da produção e à apuração da contribuição previdenciária substituída pelas agroindústrias e demais produtores rurais pessoa jurídica;
  • às empresas que se sujeitam à contribuição previdenciária sobre a receita bruta; e
  • às entidades que promovem eventos que envolvam associação desportiva que mantenha clube de futebol profissional.

Importante salientar que, a partir do momento em que a EFD-Reinf se tornar obrigatória, esse módulo, em conjunto com o eSocial, poderá substituir outros documentos representativos de obrigações acessórias, a exemplo da GFIP (Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social) e DIRF (Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte), além de poder, ainda, substituir obrigações acessórias que são instituídas por diferentes órgãos do governo, a exemplo da RAIS (Relação Anual de Informações Sociais) e CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

Assim, é extremamente relevante que as todas as informações constantes da EFD-Reinf estejam corretas a fim de serem evitados questionamento por parte do fisco, bem como quaisquer erros relativos à apuração. Nesse sentido, utilizar softwares de gestão pode ser medida de grande auxílio, principalmente para revisar ou corrigir informações dos módulos do SPED.

Via TAXCEL

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.