Empreendedorismo Feminino: Confira as principais dicas para ser dona do seu próprio negócio

0

A quantidade de mulheres investidoras tem aumentado em todo o país e, nos últimos anos, a presença feminina tem sido um assunto tem sido bastante discutido na esfera do empreendedorismo.

Segundo uma pesquisa feita pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM) em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), o país chegou ao final de 2018 com 24 milhões de mulheres empreendedoras.

Outro ponto positivo relatado pela análise é que as mulheres possuem maior escolaridade que os empreendedores.

Além disso, em 2020 acredita-se que o grupo dos empreendedores iniciais atinja um recorde histórico, com uma proporção de 25% do total da população adulta. 

Este número, segundo a projeção, será puxado principalmente pelas mulheres continuam participando ativamente do mercado financeiro, mesmo durante o momento de crise financeira, quando muito se viram com dificuldades devido à redução de seus salários e as crescentes taxas de desemprego. 

Felizmente, essa situação tem aberto as portas para  o empreendedorismo: seja pela necessidade de cuidar dos filhos e das finanças domésticas, é cada vez maior o número de empreendedoras nos mais diversos setores – educação, alimentação, cultura e vestuário.

Pensando nisso, preparamos este artigo para que você possa conferir algumas dicas essenciais para ser dona do seu próprio negócio.

Confira: 

Aprendizado: o primeiro passo para qualquer decisão é buscar conhecimento.

Sendo assim, nossa dica para as mulheres que querem empreender é analisar seus gostos, identificar possíveis talentos e qual o tipo de trabalho deseja realizar.

Desta forma, ficará mais fácil definir a atividade a qual irá investir e desenvolver em seu negócio.

Como falamos, busque inspiração e referências em outras mulheres empreendedoras que já estão no mercado à algum tempo;

Mercado: é importante analisar o setor que você pretende investir.

Há alguns produtos ou prestação de serviços que estão na “moda” e que, por isso, o mercado possa estar saturado de profissionais qualificados ou não.

Se esse for o seu caso, precisará apresentar um diferencial para atender principalmente às reais necessidade de seu nicho de clientes; 

Finanças: é preciso ter segurança e autonomia para gerenciar seu próprio negócio.

Ter disciplina e saber lidar com dinheiro é fundamental, por isso, entenda sobre as finanças do seu negócio e tenha a disposição o apoio de um profissional.

Ansiedade: a boa gestão do negócio também começa com o controle emocional.

Sabemos que é natural ficar ansiosa, mas isso pode atrapalhar a sua empresa.

Então manter a saúde física e mental neste momento é fundamental. 

Motivos para empreender 

Muitas pessoas concordam que atualmente existe uma escassez de emprego, sendo esta uma das principais razões para empreender.

Esta situação tende a piorar nos casos em que mulheres precisam cuidar de seus lares e dos filhos.

Assim, o próprio negócio seria uma saída para quem necessita de recursos financeiros.

Outra situação bastante relatada por empreendedores é a possibilidade de contribuir uma empresa sólida e que a família possa dar continuidade.

Também há quem decida fazer a diferença e criar um modelo de negócio novo.

A inovação destacada, além de poder trazer riqueza também costuma transformar o nome daquele que criou, permanecendo uma referência em seu setor de negócio.

Trabalhar com o que sempre sonhou também garante uma certa liberdade de criação, podendo representar ascensão na carreira profissional.

A concretização de metas e objetivos pessoais também está entre os principais motivos para empreender. 

Por Samara Arruda