Empreender é o seu real desejo?

0
33



A vontade de ser empreendedor aumentou 22% nos últimos dois anos. Em 2013, 23% dos brasileiros aspiravam ter o próprio negócio; atualmente, o percentual subiu para 28%.

O sonho de ter o próprio negócio bate forte dentro de você? Quais motivos levam-no a desejar empreender? Há riscos de dar tudo errado e perder dinheiro?

Ser dono do próprio negócio sugere a conquista da liberdade, inclusive financeira, fator importante para viver mais feliz. Ao menos aparentemente, pois vemos patrões com muito dinheiro que trabalham quando querem. Será verdade?



Uma pesquisa realizada pelo Data Folha em abril e maio deste ano revelou algumas informações importantes e que valem a pena refletir:

• 28% da população com mais de 18 anos tem a intensão de empreender;
• deste grupo, 38% estão se preparando por meio de pesquisas;
• 28% estão poupando dinheiro;
• 12% fazem cursos.

Estes números são motivadores, pois a intenção de empreender garante a continuidade de empresas que certamente ofertarão emprego à população (72% que não tem a intenção de empreender). Vemos ainda que 78% daqueles que desejam empreender não têm a simples intenção, ou seja, ficam aguardando a sorte surgir, mas estão poupando e se preparando para a chegada do momento de constituir o próprio negócio.

Os motivos que levam ao desejo de empreender são muitos, mas os principais revelados pela pesquisa do Data Folha são:

• 42% desejam ganhar mais e crescer profissionalmente;
• 33% porque não querem mais ter chefe;
• 16% para fazer o que gosta e
• 9% para ter mais flexibilidade de horários.

Se você está dentro dos 28% da população que deseja empreender, não importa o motivo, é necessário que se prepare bastante, pois o outro lado das estatísticas, que recentemente publiquei em um desses artigos, mostra que quase 25% dos empreendedores encerram as atividades antes de completar dois anos e 50% sucumbem antes de completar cinco anos.

Além de fazer o planejamento cauteloso, conhecer o ramo no qual pretende atuar e ter aptidão para gerir é necessário ter profundo conhecimento da técnica de precificar, momento no qual se definem todos os custos e o lucro desejado. Atribuir preço ao produto ou serviço é difícil, mas nada impossível de ter sucesso quando as técnicas são conhecidas.

Como diz Thomas Nagle, “precificar é pensar e agir de maneira estratégica como uma tática para calcular os preços de venda, pois esta é a alma do negócio”.

Gilmar Duarte – www.gilmarduarte.com.br

[useful_banner_manager banners=18 count=1]