• Estudo conduzido durante a pandemia mostra a prontidão das pequenas empresas para adotar tecnologias-chave, o impacto da tecnologia na geração de crescimento econômico e as oportunidades e os desafios do segmento
  • 96% das pequenas empresas dizem que o COVID-19 tornou seus negócios mais dependentes da tecnologia
  • 62% das pequenas empresas acreditam que a digitalização de negócios é fundamental para sua organização se tornar mais resiliente no futuro.
  • As áreas mais impactadas pela COVID-19 no Brasil incluem estilos de trabalho (14%), fluxo de caixa (14%), produção de vendas (13%) e produção (13%)

De acordo com o novo Estudo de Maturidade Digital das Pequenas Empresas 2020 (2020 Small Business Digital Maturity Study), realizado em oito países, as empresas de pequeno porte podem acrescentar US$ 2,3 trilhões ao PIB mundial até 2024, contribuindo para a recuperação econômica durante e após a pandemia.

A pesquisa, realizada pelo IDC e encomendada pela Cisco, analisou pequenas empresas nos Estados Unidos, Canadá, México, Brasil, Chile, Reino Unido, Alemanha e França para entender melhor suas oportunidades e desafios atuais e a correlação entre maturidade digital e maiior rapidez de recuperação.

Juntas, essas oito economias também podem ter um incremento de 5,5% e gozar de uma taxa de crescimento 42% mais rápida graças à maior digitalização de pequenas empresas.

A fim de entender o nível de maturidade da digitalização dessas empresas, o IDC desenvolveu parâmetros para ajudá-las a avaliar com clareza suas capacidades atuais e saber onde estão em um índice de quatro estágios ­– que vai de Digital Indifferent, no primeiro estágio, até o Digital Natives, o mais avançado.

Esse estudo é uma continuação do estudo APJC SMB, divulgado em julho.

“A pandemia de Covid-19 exacerbou a desigualdade digital que já estava presente no mercado de pequenos negócios e está forçando as empresas a acelerar sua digitalização”, afirma Daniel-Zoe Jimenez, vice-presidente associado e chefe de pesquisas de Transformação Digital e PME do IDC.

“As pequenas empresas estão se dando conta de que a digitalização não é mais uma opção, e sim uma questão de sobrevivência. Embora a pesquisa mostre que muitas pequenas empresas estão progredindo, elas devem aumentar o foco nos processos e nas operações de digitalização, utilizando tecnologias digitais para garantir a continuidade dos negócios e sua resiliência futura.”

Maioria dos pequenos negócios no Brasil se encontra na fase inicial de digitalização

O estudo trouxe dados exclusivos sobre o cenário de digitalização das pequenas empresas no Brasil.

51% delas se encontram no estágio inicial, Digital Indifferent ou Fase 1.

Isto coloca o país na 18ª posição no ranking de maturidade digital das pequenas empresas. A estimativa é que até U$ 9 bilhões podem ser somados ao PIB nacional até 2024 através da digitalização das pequenas empresas.

Para os pequenos empresários, entre as áreas mais impactadas pelas Covid-19, estão estilos de trabalho (14%), fluxo de caixa (14%), produção de vendas (13%) e produção (13%).

Contudo, 96% das pequenas empresas dizem que a COVID-19 tornou seus negócios mais dependentes da tecnologia.

Outro dado importante é referente à digitalização futura do negócio.

81% creem que a Covid-19 acelerará a digitalização de seus negócios.

Mas para 79%, esta aceleração se dará no patamar entre 11%-50%.

Além disso, 62% das pequenas empresas acreditam que a digitalização de negócios é fundamental para sua organização se tornar mais resiliente no futuro.

Os pequenos empresários também estão reconhecendo o papel da digitalização na sua competitividade: 67% dizem que o principal motor para se transformar digitalmente é trazer novos produtos e serviços para o mercado, distanciar-se da concorrência e crescer.

Os entrevistados brasileiros também responderam sobre os principais desafios para digitalizar seus negócios, entre eles estão: a resistência cultural à mudança (18%), escassez de talentos e habilidades dentro da organização (17%) e falta de tecnologias necessárias para viabilizar a transformação digital (12%).

Por fim, os principais investimentos em soluções  tecnológicas que as pequenas empresas farão nos próximos 18 meses incluem soluções para ajudar os funcionários a trabalhar remotamente e/ou automatizar processos principais (44%), tecnologias digitais para melhorar as vendas online (44%) e  uma estratégia digital que os ajudará a navegar na crise com metas claras (42%).

De acordo com Jay Gumbiner, Vice-presidente de Pesquisa da IDC América Latina, “O segmento de PME sempre será importante na região da América Latina, pois é um dos ‘motores’ de crecimiento que representa mais de 80% dos empregos. No ecossistema de 13,2 milhões de empresas formais, quase 900 mil têm entre 50-499 empregados, enquanto mais de 12 milhões têm menos de 50 empregados. Os fornecedores que encontrarem formas de oferecer serviços e suporte para esse bloco de empresas de uma maneira eficiente serão os líderes de amanhã.” 

No mundo: pequenas empresas estão em estágios variados de sua jornada de digitalização

As pequenas empresas variam entre os quatro estágios de maturidade digital, surpreendentemente com apenas 25% das empresas participantes da pesquisa no estágio mais avançado (quarto estágio) e 4% ainda no primeiro estágio/estágio de nativa digital – grupo formado pelos três países da América Latina pesquisados: Brasil, México e Chile.

  • Em média, as pequenas empresas da América do Norte e da Europa ocidental estão mais digitalmente maduras do que as da América Latina, com mais de 33% das empresas nos estágios 3 e 4 nas duas primeiras regiões.
  • Na comparação entre os oitos países, as pequenas empresas do Reino Unido, dos Estados Unidos e da Alemanha progrediram mais em suas jornadas de digitalização, seguidas pelas francesas e canadenses. As pequenas empresas da América Latina aparecem atrás.

Em relação à recuperação durante e após a pandemia, as pequenas empresas que estão no terceiro e quarto estágios, de maior maturidade, têm o maior índice de recuperação, são capazes de responder mais rapidamente às mudanças das condições do mercado e estão aumentando seu faturamento a taxas mais altas.

  • 16% dos entrevistados afirmam estar prosperando e sentir que suas empresas são ágeis e resilientes.
  • Na outra extremidade, 36% das pequenas empresas pesquisadas ainda estão no modo sobrevivência, e 50% delas estão focadas em aumentar ou reformular seus negócios.
  • Se 50% das pequenas empresas pesquisadas conseguirem avançar para terceiro estágio do índice de maturidade até 2024, pode haver um incremento de US$ 2,3 trilhões no PIB.

Pequenas empresas sabem que a tecnologia é essencial para a recuperação, mas não sem desafios

A Covid-19 só fez reforçar o fato de que a digitalização não é mais opcional para as pequenas empresas, mas uma necessidade.

  • Mais de 70% das pequenas empresas pesquisadas ao redor do mundo estão acelerando a digitalização de seus negócios por causa da pandemia.

Ainda que atualmente as tecnologias digitais estejam mais amplamente disponíveis e ajudem a equiparar a concorrência, as pequenas empresas enfrentam entraves em muitos aspectos.

  • Estilos de trabalho, segurança dos funcionários, fluxo de caixa e vendas são as áreas mais impactadas nas pequenas empresas de todo o mundo devido à pandemia.
  • Além disso, a escassez de habilidades e qualificação profissional para o digital, a resistência cultural às mudanças e a falta de orçamento/compromisso são desafios-chave para as pequenas empresas, mesmo sem pandemia.

Pequenas empresas são mais dependentes da tecnologia e investirão em áreas-chave

Esta crise tornou as pequenas empresas mais dependentes da tecnologia e mais cientes da importância da digitalização.

  • Cerca de 45% das pequenas empresas pesquisadas esperam que mais de 30% de seus negócios sejam digitais em 2021.
  • 36% das pequenas empresas planejam investir em soluções que possam ajudar seus empregados a trabalhar remotamente, e 33% investirão em tecnologias digitais para melhorar as vendas on-line.
  • 32% das pequenas empresas também estão planejando desenvolver uma estratégia digital com metas comerciais claras, e 32% estão investindo em talentos e na qualificação certa.

No que se refere ao investimento em tecnologia nos próximos 18 meses, as pequenas empresas pretendem investir em soluções na nuvem e também construir infraestrutura on-premises, tanto de software quanto de hardware.

  • A segurança é crucial para as pequenas empresas, que consideram soluções de segurança como uma de suas três prioridades.
  • Soluções de experiência de cliente e de colaboração estão entre as cinco principais áreas de investimento. As pequenas empresas com maior maturidade também estão priorizando IA/analítica para aumentar ainda mais sua competitividade e reduzir a intervenção humana.

Recomendações para pequenas empresas:

Pequenas empresas de todo o mundo estão aprendendo a se adaptar ao clima atual, a superar os desafios e a adotar tecnologias que possam ajudá-las não só a sobreviver a esta crise, como também a prosperar por muito tempo depois que ela passar.

No entanto, a primeira pergunta para muitas delas é: “Por onde começar?”.

A Cisco e o IDC fazem as seguintes recomendações para que elas criem resiliência:

  • Desenvolver um roteiro tecnológico de três anos
  • Priorizar os processos de negócio crítico para automação
  • Avaliar as tecnologias certas nas quais investir ­– com foco na capacitação de empregados/força de trabalho remotos, em uma plataforma segura de e-commerce e em uma rede robusta de cibersegurança
  • Investir em talentos e habilidades focados no digital
  • Encontrar o parceiro de tecnologia certo para sua jornada
  • Mobilizar recursos financeiros e equipamentos remanufaturados para ajudar com o fluxo de caixa e as necessidades orçamentárias
  • Acompanhar as tendências e melhores práticas do mercado
  • Simplificar, começar com pouco, aprender e escalar

Recursos adicionais

Sobre a metodologia do relatório da pesquisa

O Estudo de Maturidade Digital das Pequenas Empresas 2020 (2020 Small Business Digital Maturity Study) coletou e analisou dados de mais de 2 mil pequenas empresas em oito países a fim de levantar os desafios e as oportunidades das empresas em sua jornada de transformação digital e no contexto da Covid-19.

Os oito mercados são Alemanha, Brasil, Canadá, Chile, Estados Unidos, França, México e Reino Unido.

O Índice de Maturidade Digital da Pequena Empresa (Small Business Digital Maturity Index) é composto por quatro dimensões: Estratégia Digital e Organização, Processos Digitais e Governança, Tecnologias Digitais e Pessoal e Qualificação Digital.

Cada dimensão trata de um aspecto essencial do domínio digital e pode ser avaliada separadamente, como medida da maturidade relativa em termos de um aspecto específico do funcionamento e desempenho do negócio, indicando metas para as pequenas empresas mirarem em sua jornada de transformação digital.

Quatro estágios da maturidade digital:

  • Estágio 1 – Indiferente ao Digital: Empresa que é reativa às mudanças do mercado e na qual não existem esforços para a transformação digital
  • Estágio 2 – Observadora do Digital: Empresa cujos esforços de transformação digital já começaram, mas que permanece tátil e com iniciativas pequenas
  • Estágio 3 – Desafiadora Digital: Empresa que tem uma estratégia para o uso de tecnologias digitais e é mais proativa em sua capacidade de resposta ao mercado
  • Estágio 4 – Nativa Digital: Empresa que tem uma estratégia de digitalização integrada e que está focada em promover inovações contínuas

A Cisco (NASDAQ: CSCO) é líder mundial em tecnologia para a Internet.