Obrigação acessória será cumprida pelas empresas com faturamento igual ou superior a R$ 78 milhões ao ano e classificadas nas divisões 10 a 32 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas

Em 2007, com o objetivo de agilizar os processos para a expansão econômica nacional, o Governo Federal anunciou o SPED (Sistema Público de Escrituração Digital), um projeto de solução tecnológica que oficializa os arquivos digitais das escriturações fiscal e contábil dos sistemas empresariais dentro de um formato digital específico.

Devido a mudança de emissão do Livro de Controle da Produção e do Estoque para o o eletrônico, foi incluído na EFD o , que obriga todas as empresas industriais e atacadistas, exceto aquelas enquadradas no Simples Nacional, a registrarem todas as entradas e saídas de produtos, bem como as perdas ocorridas nos processos produtivos.

[rev_slider alias=”ads”][/rev_slider]

 

Uma pesquisa feita pelo Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e de Assessoramento no Estado de São Paulo (Sescon-SP) com empresários de contabilidade em todo o Estado revelou insatisfação com a nova exigência. Para a maioria (32%) dos entrevistados, o resultará em mais burocracia e custos para as empresas. Outros 31% advertem que a tem sido um grande entrave para as adequações, visto que a obrigação fiscal exige a aquisição de um software de gestão empresarial integrado e treinamento específico de pessoal.

Ainda de acordo com a pesquisa, é provável que uma parcela considerável das empresas (23%) deixe para a última hora as mudanças necessárias para atender às normas do . Apenas 14% das organizações enquadradas na prira etapa de implantação estão preparadas.

Diante da necessidade do cumprimento dessa obrigação acessória, as empresas desenvolvedoras de tecnologias são a solução para que as empresas consigam se adequar a essa obrigação. Para Marcelo Guidugli, CEO da Procfit, empresa desenvolvedora de soluções de gestão empresarial, as companhias devem se adequar o quanto antes as exigências do . “A obrigatoriedade do é mais uma regulamentação exigida pelo governo e as empresas devem se adequar o quanto antes, através de uma solução eficiente é possível cumprir facilmente todas as exigências dessa obrigação acessória”, afirma Guidugli.

Do ponto de vista técnico, o é altamente complexo, pois devem ser registradas pelos funcionários todas as informações relacionadas aos estoques de mercadoria, desde o saldo estocado, substituição de insumos e perdas no processo produtivo até o produto completamente acabado, sendo este fabricado pela própria empresa ou por terceiros.

Para gerar corretamente as informações do , a empresa precisará controlar seu estoque e processo produtivo da forma mais eficaz possível. Para suprir essa necessidade, é preciso implantar um ERP confiável, já adequado ao , que permite fazer uma gestão muito mais eficiente, evitando dores de cabeça no futuro.

Com ele, as empresas também poderão diminuir o tempo dedicado a cada tarefa, otimizar o fluxo de informações para as tomadas de decisão e reduzir custos, simplificando assim a sua gestão e permitindo que elas foquem no mercado em que atuam. Outra medida importante é obter o auxílio de uma ferramenta de análise de impacto, identificando possíveis inconsistências na manufatura das empresas que devem ser tratadas para a validação do .

Website: https://www.procfit.com.br

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.