Empresas do Simples Nacional tem até o final de outubro para renegociar suas dívidas

A partir dessas facilidades, é possível renegociar os débitos com benefícios — como entrada reduzida, descontos e prazos ampliados para os pagamentos.

Na última semana, o prazo para que empresas do Simples Nacional possam regularizar a sua situação perante a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional foi prorrogado. As duas modalidades voltadas para microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte foram estendidas para o dia 31 de outubro. 

A partir dessas facilidades, é possível renegociar os débitos com benefícios — como entrada reduzida, descontos e prazos ampliados para os pagamentos. Confira a seguir as peculiaridades de cada um dos acordos. 

Transação de Pequeno Valor do Simples Nacional: 

Essa modalidade permite que empresas do Simples Nacional paguem seus débitos inscritos em dívida ativa com a União. Vale destacar que ela abrange apenas os débitos do regime tributário, e que estiverem inscritos em dívida ativa até o dia 31 de dezembro de 2021. O valor consolidado precisa ser igual ou inferior a 60 salários mínimos. 

Um dos destaques da Transação de Pequeno Valor é a possibilidade de realizar o pagamento de uma entrada de 1% do valor da dívida — a qual pode ser dividida em três prestações. O valor restante deve ser pago da seguinte forma:

  • em até 9 meses, com desconto de 50% sobre o valor total;
  • em até 27 meses, com desconto de 45% sobre o valor total;
  • em até 47 meses, com desconto de 40% sobre o valor total;
  • em até 57 meses, com desconto de 40% sobre o valor total.

Importante lembrar que:

  • o valor da entrada precisa ser de 2% em situações em que o débito já tenha sido parcelado antes;
  • o valor das parcelas não pode ser inferior a R$ 25,00 (para microempreendedores individuais) e R$ 100,00 (para microempresas e empresas de pequeno porte). 

Programa de Regularização do Simples Nacional:

Esse tipo de acordo abrange os débitos que estiverem inscritos em dívida ativa até o dia 30 de junho de 2022. Para aderir, as empresas do Simples Nacional precisam realizar o pagamento de uma entrada de 1% do valor das dívidas — a qual pode ser parcelada em até oito meses. O valor restante pode ser pago em até 137 parcelas mensais, com descontos em juros, multas e encargos legais. 

O diferencial dessa modalidade é a forma de determinar os descontos — os quais variam conforme a capacidade de pagamento do contribuinte em questão. Vale lembrar que as parcelas não podem ser menores que R$ 25,00 para microempreendedores individuais, e R$ 100,00 para microempresas e empresas de pequeno porte. 

Quer saber como sua empresa pode aproveitar essas oportunidades propostas pela PGFN? Clique aqui e entre em contato conosco. Podemos ajudar você a tomar as melhores decisões para o seu negócio.

Fonte: Dr Fiscal

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Comentários estão fechados.