A quarentena ainda não acabou para muitas empresas, nem a crise financeira criada pela pandemia, entretanto as primeiras contas feitas com os adiamentos de tributos propostos no período pelo Governo Federal já começam a chegar às empresas.

O primeiro pagamento será agora para o dia 07 de julho, tendo que ser pago pelos empregadores que parcelaram o FGTS das competências março, abril e/ou maio de 2020, lembrando que as empresas deveriam comunicar a Caixa Econômica Federal até o dia 20 de junho de 2020 para possibilitar a suspenção da exigibilidade das obrigações dessas competências.

Contudo, as dificuldades são ainda maiores por causa do sistema. Sendo que as empresas estão encontrando dificuldade na transmissão da GFIP (Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social) no método parcelamento junto à Caixa Econômica.

Segundo o diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil, Richard Domingos, ocorre que o sistema estava oscilando e praticamente inoperante por todo o período do fim de semana e na segunda-feira (06).

FGTS

“Nossa área trabalhista busco sábado e domingo tentar transmitir essa informação, porém a Caixa Econômica realizou uma Live informando mudanças do FGTS devido a questão dos parcelamentos, mas mesmo após o sistema não normalizou, o que vem prejudicando nosso trabalho” explica Richard Domingos.

Dificuldade para empresas

Além dessa dificuldade, tem outro problema para as empresas segundo o diretor executivo da Confirp, que deixa a situação ainda mais preocupante, que é a situação financeira.

“A conta chegou antes que as empresas pudessem se recuperar para pagá-la. Vemos ainda muitas empresas que estão com suas operações paradas totalmente e parcialmente e terão que arcar com esse valor, além do que valor referente ao mês atual. Para grande parte das organizações essa conta não vai fechar”, explica Domingos.

Ponto relevante é que dificilmente haverá um novo adiamento por parte governamental deste prazo e um outro agravante é que o crédito não está chegando nas empresas, principalmente as de menor porte.

“As empresas foram prejudicadas por um acontecimento que não foi decorrente de uma má gestão, assim o Governo Federal deveria ampliar e melhorar o parcelamento proposto, haja vista que grande parte das empresas não conseguem nem mesmo funcionar em sua plenitude. Lembrando que nesse mês termina o prazo de suspenção ou redução da jornada de trabalho, o FGTS da competência 06/2020 deverá ser pago no dia 07 que agrava ainda mais o fluxo de caixa das empresas”, aponta.

Veja abaixo o calendário de pagamento, lembrando que as parcelas terão data de vencimento até o dia 7 (sete) de cada mês.

​Parcela e ​Data de Vencimento (*quando o pagamento não for em dia útil ele será adiantado):

• 1ª parcela – ​07/07/2020
• 2ª parcela – ​07/08/2020
• 3ª parcela – ​04/09/2020*
• 4ª parcela – ​07/10/2020
• 5ª parcela – ​06/11/2020*
• 6ª parcela – ​07/12/2020
Ponto importante é que as empresas teriam até dia 20de junho para aderir ao parcelamento, colocando na modalidade 1 os empregados que teriam o diferimento do FGTS em cada uma das suas competências. Para piorar ainda mais a situação, a guia vence amanhã e a as empresas estão encontrando dificuldades no sistema.

Richard Domingos cita a próprias Confirp, segundo Richard Domingos: “a área está lutando para gerar a guia do parcelamento, que tem um site específico para emissão dessa parcela, mas teve uma instabilidade grave deste na semana passada”. Contudo, segundo informação da consultoria, parece que hoje o sistema já está melhor.