Está em busca de empréstimo pessoal sem consulta de CPF em órgãos de proteção ao crédito? Então, leia com atenção todas as dicas deste artigo. Afinal, na prática, as instituições financeiras concedem empréstimos a partir da consulta do CPF.

O que ocorre é uma flexibilização nos critérios de análise utilizados por elas para decidir se o solicitante pode ter acesso ao empréstimo ou não. Só que, nesse caso, as taxas de juros também são mais altas. Quer saber mais sobre o assunto? Continue lendo e descubra como funciona o empréstimo pessoal sem consulta e conheça cuidados e práticas fundamentais nessa hora. Vamos nessa.

Existe empréstimo pessoal sem consulta?

A consulta de CPF nos registros de órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa, faz parte da rotina de bancos e instituições financeiras que concedem empréstimos. É o que se chama de análise de crédito: uma forma de verificar o seu perfil, analisando se você é um bom pagador ou não.

SAIBA+AZULIS: CNPJ negativado: é possível conseguir um empréstimo?

Trata-se de uma forma de essas instituições saberem se você é confiável ou não para receber um empréstimo. Então, não existe concessão de empréstimo pessoal sem consulta ao CPF do solicitante. Mas, na prática, os critérios utilizadas por algumas instituições são mais flexíveis. Isso quer dizer que, mesmo que você não tenha um histórico excelente ou que esteja com o nome negativado, é possível obter empréstimo devido aos critérios menos exigentes. Só que aí há um detalhe importante: o empréstimo, nesses casos, são oferecidos com taxas de juros mais altas.

É uma forma de a financiadora ter garantia de que não terá prejuízos ao oferecer o empréstimo. Portanto, ao buscar por empréstimo pessoal sem consulta, é importante desconfiar de taxas de juros muito baixas.

salário mínimo em 2020

4 Cuidados com o empréstimo pessoal sem consulta

Qualquer modalidade de obtenção de crédito deve ser planejada com cuidado  — com o empréstimo pessoal sem consulta, não é diferente. Por isso, fique atento a quatro precauções que você deve tomar antes de assinar o contrato com uma instituição financeira. Vamos lá?

SAIBA+AZULIS: Empréstimo urgente para negativados: cuidados, dicas e como fazer

1. Analise a taxa de juros

Como mencionamos anteriormente, a taxa de juros nesse tipo de empréstimo geralmente é altíssima. Ou seja: no fim das contas, você vai pagar um valor que excede o crédito que recebeu. Será que vale a pena pagar a mais, considerando as taxas, ou é melhor recorrer a outros recursos financeiros? Essa é uma decisão que deve ser embasada em cálculos consistentes sobre o valor do empréstimo.

2. Avalie a reputação da empresa

Fraudes e golpes são comuns na área de empréstimo pessoal. Por isso, desconfie de empresas que oferecem taxas de juros muito abaixo da média de outras instituições. Verifique se a empresa realmente existe, se ela possui CNPJ, se o site é confiável e o que as pessoas falam dela. Tampouco assine qualquer contrato se tiver dúvidas quanto à procedência da operação.

3. Nunca deposite valores antecipados

Nenhuma instituição pode cobrar pagamento antecipado pelo empréstimo  — esse é um dos principais sinais de fraude. Portanto, se a empresa fizer esse tipo de solicitação, caia fora e não tente negociar, pois se trata de um golpe.

4. Verifique a possibilidade de renegociar suas dívidas

Antes de solicitar um empréstimo, vale tentar uma renegociação de dívidas com bancos e empresas, em busca de reduzir o valor ou aumentar o prazo de pagamento. Caso você consiga renegociá-las com condições adequadas ao seu orçamento, talvez nem seja necessário recorrer ao empréstimo pessoal.

3 Dicas para fazer empréstimo pessoal sem consulta

Depois de conhecer os principais cuidados, aproveite para conferir três dicas que ajudam na hora de solicitar o empréstimo.

1. Analise se o empréstimo é a melhor opção

O empréstimo pessoal é um compromisso financeiro que demanda planejamento e rigor no pagamento. Como as taxas de juros são altas, o ideal é analisar se o empréstimo é realmente necessário. Verifique, portanto, se o dinheiro do qual você precisa não poderia ser economizado de outra forma, como o corte de gastos e a revisão do seu orçamento, por exemplo.

2. Tenha um controle financeiro rigoroso

Se você chegou à conclusão de que o empréstimo é a melhor solução, é hora de fazer um planejamento financeiro eficiente. Controle todas as entradas e saídas do orçamento, identificando gastos que podem ser reduzidos.

Saiba quanto você ganha por mês e quanto gasta.

Avalie qual é o valor mensal que você pode pagar pelas parcelas do empréstimo pessoal sem comprometer outras despesas.

3. Compare diferentes ofertas de instituições financeiras

Não assine contrato com a primeira instituição financeira na qual você simulou o empréstimo. O ideal é verificar as ofertas e condições de várias instituições para analisar, por meio de comparação entre elas, qual é a opção ideal para você. 

Fonte: Azulis