Empréstimos e Recursos para Superar a pandemia

0

A Crise do Coronavírus além de trazer problemas às empresas, tem feito com que muitas delas pensem em buscar empréstimos e recursos para a sua sobrevivência.

Contudo, tais ações preocupam muito os empresários que não querem perder seus empreendimentos e muito menos se endividarem.

Governo e Bancos têm preparado uma série de projetos e programas para auxiliar as empresas, em especial as pequenas a se manterem financeiramente.

E por mais que venham surgindo novos programas financeiros, é preciso sempre ficar atento qual o melhor para o seu negócio, e se realmente é necessário isso.

Acompanhe este post e fique por dentro dos vários programas de auxílio financeiro para as empresas!

Qual o momento certo de buscar um auxílio financeiro?

A nova realidade instaurada pelo Coronavírus, que solicita isolamento social e fechamento dos comércios, muitas empresas vêm tendo problemas para manter as contas em dia.

Antes de tudo, realize a gestão de crise e analise a real situação da empresa, e como enxutar os custos da mesma.

Identifique os pontos em que a sua empresa pode realizar cortes e contingenciamento de gastos, para assim garantir sobrevivência financeira.

Se mesmo assim, para que a sua empresa sobreviva, ela necessite de um aporte financeiro chegou a hora de buscar um empréstimo ou crédito bancário.

Contudo, atente-se às seguintes dicas:

  • Analise e pense na capacidade de pagamento de sua empresa, mesmo que a longo prazo;
  • Analise se a estrutura empresarial já foi enxuta o bastante;

Não se esqueça de que qualquer auxílio financeiro deve ser buscado somente em casos de extrema necessidade.

Empréstimo/Crédito para manutenção de Capital de Giro

O Empréstimo ou Crédito para Manutenção de Capital de Giro é um modelo muito comum de auxílio financeiro para as empresas.

Ele é usado para manter as contas em equilíbrio e também o dinheiro necessário para a empresa manter o seu giro.

Esse modelo de crédito é muito comum e o mais fácil de ser adquirido junto aos bancos, sendo que em alguns deles podem ser feitos pelo próprio aplicativo.

Os documentos necessários, comumente são: o documento que consta o CNPJ, RG e CPF do dono e possível sócios, além de um balanço e demonstrativos financeiro dos últimos anos.

Contudo atenção, pois por se tratar de uma linha de crédito de fácil obtenção e não solicitar garantia possui os juros mais altos do mercado.

Acesse este artigo do BNDES e veja as principais instituições por estado e juros praticados para obtenção de crédito de Capital de Giro para Pequenas Empresas.

Desconto ou Antecipação de Recebíveis

O desconto de duplicatas ou cheques também conhecimento como antecipação de Recebíveis, é um auxílio financeiro muito usado pelas empresas.

O empresário busca junto a um banco o adiantamento de valores que iriam receber a um longo prazo.

Por exemplo, pagamentos à prazo de cartão de crédito, duplicatas, títulos e cheques.

Este é um procedimento com uma taxa de juros alta e a empresa também não recebe o valor integral, pois é realizada a cobrança de um valor percentual sobre o total.

O Banco também realiza uma avaliação de risco que é uma forma de analisar a possibilidade de pagamento de sua empresa, e para que eles tenham segurança.

Financiamento

O financiamento é utilizado para adquirir algum bem, no caso de maquinários e equipamentos para a empresa.

É quando a empresa não possui o dinheiro total para tal aquisição e dessa forma recorre a uma instituição financeira.

O Banco realiza a compra deste equipamento e a empresa irá pagar de forma parcelada para instituição em um prazo pré-estabelecido.

Empréstimos e Linhas de Crédito exclusivas para a Crise

Como é o comum, em crises econômicas o Governo Federal e os bancos estão lançando programas especiais de linhas de crédito para as empresas.

Há um série de medidas para diminuir o impacto de impostos e obrigações da empresa:

  • Suspensão de pagamento do FGTS dos funcionários nos meses de abril, maio e junho, que devem ser pagas em até seis vezes e informados no eSocial até o dia 7 de cada mês;
  • Prorrogação do pagamento dos DAS de abril, maio e junho para três meses à frente respectivamente para outubro, novembro e dezembro;
  • Os recolhimentos de PIS, COFINS e CPP (Contribuição Patronal Previdenciária) dos meses de março e abril para os meses de julho e setembro;

MP 936 e 944 para manutenção de empregos e salários

A maior preocupação do governo é para com a manutenção dos empregos e dos salários dos trabalhadores.

A Medida Provisória 936 trouxe novas regras para manutenção de empregos, entre eles:

  • Suspensão de contratos de trabalho por até dois meses durante a crise;
  • Redução de Jornada de Trabalho e Salários por até três meses;
  • Instituição de Benefício Emergencial para manutenção dos salários.

Já a Medida Provisória 944 trouxe a possibilidade de que empresas com receitas brutas anuais entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões financiar a folha de pagamento por até 2 meses.

Contudo, há o limite de até dois salários mínimos por funcionário, caso o funcionário receba mais que isso, o valor excedente deve ser custeado pela empresa.

A opção por este financiamento deve ser realizada até 30 de junho de 2020 e o pagamento pode ser realizada em até 36 meses com carência de até 6 meses e juros de 3,75% ao ano.

Empréstimos de Bancos Privados e Públicos

Além dos modelos já tradicionais de empréstimos e aportes financeiros para as empresas, bancos públicos e privados estão lançando planos especiais para a crise.

Para ajudar neste processo, o SEBRAE preparou um material com diversas opções de financiamentos públicos e privados.