Entenda a diferença entre contribuições, impostos e taxas

0

O que é tributo?

De acordo com o art. 3º do Código Tributário Nacional (CTN – Lei nº 5.172, de 25 de outubro de 1966), Tributo é “toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada.”

Tributo é o termo mais amplo para designar valores recolhidos pelo Estado.

Dentro desse gênero, existem os impostos, as taxas e as contribuições.

Importante deixar claro que não estão incluídos como tributos aqueles valores ocasionados por sanções ou penas, como multas ou indenizações.

O que é Imposto?

Segundo o art. 16 do Código Tributário, “Imposto é o tributo cuja obrigação tem por fato gerador uma situação independente de qualquer atividade estatal específica, relativa ao contribuinte”.

É uma quantia paga por pessoas físicas e jurídicas, utilizada para custear as despesas e investimentos da Administração Pública.

Entretanto, a principal característica desta espécie de tributo é a inexistência de vinculação da receita.

Ou seja, nenhum imposto está condicionado a que seus valores sejam utilizados em despesas pré-determinadas.

Os impostos podem ser de competência Federal, como o IOF (Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguros ), o IRPF (Imposto sobre a renda das pessoas físicas) e o IRPJ (Imposto sobre a renda das pessoas jurídicas).

Pode ser de competência estadual, como o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias) e o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).

Ou pode ser de competência municipal, como o IPTU (Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana) e o ISS (Imposto Sobre Serviços).

O que é taxa?

As taxas são um tributo que pode ser cobrado pela União, pelos Estados ou pelos municípios.

De acordo com o artigo 77 do Código Tributário, elas “têm como fato gerador o exercício regular do poder de polícia, ou a utilização, efetiva ou potencial, de serviço público específico e divisível, prestado ao contribuinte ou posto à sua disposição.”

A principal característica da taxa é o seu caráter contraprestacional.

Designed by @pressfoto / freepik
Designed by @pressfoto / freepik

Isso significa que a taxa é paga sempre tendo em vista determinada contraprestação direta por parte da Administração Pública, seja a prestação de um serviço ou a efetiva fiscalização de determinada atividade.

Sobre os serviços públicos citados no art. 77, o art. 79 considera aqueles:

I – utilizados pelo contribuinte:

a) efetivamente, quando por ele usufruídos a qualquer título;

b) potencialmente, quando, sendo de utilização compulsória, sejam postos à sua disposição mediante atividade administrativa em efetivo funcionamento;

II – específicos, quando possam ser destacados em unidades autônomas de intervenção, de utilidade, ou de necessidades públicas;

III – divisíveis, quando suscetíveis de utilização, separadamente, por parte de cada um dos seus usuários.

Como exemplo de taxas, podemos citar as Taxa de Emissão de Documentos, a Taxa de Coleta de Lixo e a Taxa de Licenciamento Anual de Veículo.

O que é contribuição?

As contribuições são tributos que exigem finalidade específica aos valores recebidos.

Não há uma definição do seu conceito no Código Tributário Nacional, visto que o CTN é do ano de 1966, estando desatualizado em alguns pontos.

As disposições sobre as contribuições encontram-se na Constituição Federal, nos artigos 149 e 195.

Podem ser subdivididas em contribuições sociais gerais, contribuições sobre o domínio econômico e contribuições de categorias profissionais.

Todas elas arrecadam valores que serão necessariamente destinados a entidades, áreas e atividades específicas.

Como exemplo de contribuições, podemos citar a Contribuição Previdenciária, o PIS e a COFINS, que são destinadas a custear a Seguridade Social.

É possível mencionar ainda as contribuições ao Sistema S, destinadas a financiar as atividades do SENAI, SESI, SENAC, SESC, SEBRAE, SENAR, SEST, SENAT e SESCOOP.

Quer ir além dos impostos, contribuições e taxas e aprender mais sobre a realidade tributária do Brasil? Então baixe agora o nosso e-book “Quanto custam os tributos?” e aprenda como o nosso sistema fiscal afeta os contribuintes e as empresas!

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por: Priscila Daniel

Fonte: TaxGroup

Imagem: taxgroup inteligência tributária