Quando o tema é governança corporativa, muitos negócios podem pensar que se trata de um sistema que só pode estar presente em grandes organizações. De fato, esse é um assunto cada vez mais recorrente no ambiente dos grandes negócios, mas vale ressaltar que governança corporativa não se limita apenas aos gigantes do mercado.

A governança corporativa para pequenas e médias empresas assume um papel importante no momento da tomada de decisões estratégicas do negócio. E em um caso em que a pequena/média empresa esteja com o objetivo de captar recursos para se desenvolver no mercado, por exemplo, esse também é um recurso essencial.

Como consultor empresarial, com mais de 35 anos de vida corporativa e desde 2015 à frente da MORCONE Consultoria Empresarial, acredito que a governança corporativa cumpre um papel importante entre as PMEs, ajudando no alinhamento de interesses entre todas as partes envolvidas, além, é claro, de otimizar o valor econômico do negócio em longo prazo.

Principais benefícios da governança corporativa para pequenas e médias empresas

Ter uma governança corporativa pode gerar muitos benefícios à pequena e média empresa, dentre eles:

Redução de custos – Por tornar a tomada de decisão mais assertiva, consequentemente faz com que o desperdício de recursos no negócio diminua. Além disso, as partes interessadas no negócio sempre encontram espaço para propor oportunidades de avanço a fim de melhores resultados;

Otimização de tempo – Quando uma empresa adota práticas de governança corporativa também ocorre a otimização de tempo em vários de seus processos. A produtividade dentre os colaboradores da empresa tende a aumentar;

Transparência – Dentre os princípios de governança corporativa está a transparência na gestão e na troca de informações. Isso gera em toda a equipe de colaboradores no negócio a confiabilidade. O ambiente se torna mais saudável para todos os envolvidos;

Profissionalização do ambiente e posturas – A governança corporativa para pequenas e médias empresas profissionaliza o ambiente à medida que a transparência e responsabilidade na gestão são fatores fundamentais para o alinhamento de interesses de todas as partes, além disso, também ocorre o reflexo sobre a postura dos colaboradores na empresa;

Melhor relacionamento com as partes interessadas – As práticas de governança corporativa também fortalecem o relacionamento com os stakeholders (todas as partes interessadas na empresa). Todos os envolvidos se sentem motivados a cooperar, o que resulta em grandes oportunidades para o negócio: aumento da lucratividade; maior facilidade em caso da busca por financiamento ou investidores, etc.

Governança Corporativa – Fundamental para empresas que desejam crescer no mercado

Julgo importante frisar que governança corporativa não é um conjunto de práticas que costumam ser adotadas pelas maiores organizações. Governança corporativa é para todos, sem distinção de porte e segmento. É como uma ferramenta capaz de planejar o futuro do negócio e que valoriza a gestão e resultados da empresa.

Governança corporativa é o que deveria conduzir todos os processos em uma empresa. Trata-se de métodos e técnicas que ajudam o negócio a conseguir alcançar um desempenho superior.

A governança corporativa para pequenas e médias empresas contemplam os mesmos princípios para aplicação em negócios de qualquer porte, as técnicas são as mesmas: orçamento, auditoria, planejamento tributário, gestão de riscos e controle patrimonial.

Esse é um tema que tem sido alvo de interesse há alguns anos no Brasil e a razão para toda essa preocupação nos últimos anos é que as empresas desejam se destacar no cenário da concorrência e isso se faz principalmente “reparando todas as frestas”, em todos os processos que envolvem o negócio.

As práticas de governança corporativa para pequenas e médias empresas assumem o papel de impor mudanças na maneira de gerenciar, de propor reflexões quanto à cultura organizacional, de que a empresa não está no mercado apenas por estar, para lucrar, para “desbancar” a concorrência.

Quando uma PME adota práticas de governança corporativa assume uma postura comportamental frente ao mercado, de que tem bases sólidas, de que possui plenas condições de se desenvolver cada vez mais no mercado, de que se preocupa com fatores sociais e ambientais e de que oferece mais do que um produto/serviço.

Carlos Moreira – Há mais de 35 anos atuando em diversas empresas nacionais e multinacionais como Manager, CEO (Diretor Presidente), CFO (Diretor Financeiro e Controladoria) e CCO (Diretor Comercial e de Marketing).

[elementor-template id=”121699″]