A autoridade acrescentou, em uma entrevista à rádio CBN, que o governo do presidente Jair Bolsonaro, que começou em 1º de janeiro, está analisando a concessão de licenças para empresas privadas para construir e operar 5.600 quilômetros de estradas e oferecer novamente por 4.000 quilômetros já existentes.

“Precisamos identificar todos os trechos de estradas que podem ser executados comercialmente e transferi-los para o setor privado por meio de parcerias público-privadas e concessões”, destacou Freitas.

Seus comentários refletem os planos de Bolsonaro de atrair investimento privado para as redes rodoviárias e ferroviárias relativamente pequenas do país e, ao mesmo tempo, reduzir o Estado brasileiro que enfrenta um enorme déficit fiscal.

“Obviamente, não estamos falando apenas de privatizações, mas também da liquidação de empresas que não são viáveis”, pontuou Freitas. “O plano é liberar o orçamento para investir em outras áreas prioritárias”, acrescentou.

A privatização da Eletrobras é uma das mais aguardadas já neste primeiro ano da era Bolsonaro no Palácio do Planalto. A decisão, porém, terá de passar pelo Congresso.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.