Erros ao fazer o PIX. O que fazer após e como evitar?

0

Com o crescimento desenfreado do Pix no Brasil, hoje somando mais de 133.877.957 chaves cadastradas, é normal que os erros ao realizar as transações fiquem em voga, em vista que, quanto mais usuários, maiores são as quantidades de erros. 

Diante disso, se torna mais que necessário o desenvolvimento de estratégias para amenizar o número de pessoas que erram nessas situações. Em razão disso, separamos algumas dicas básicas de como evitar, e o que fazer em casos em que erro já foi feito.

Como evitar erros na hora de fazer o Pix? 

Junto da praticidade das ferramentas do PIX, veio a popularidade e com ela veio alguns possíveis erros na hora de realizar as transações, seja por mera distração ou ocasionado por golpes. Em vista disso, confira algumas dicas para evitar estresses futuros gerados nessas horas. 

Certifique que a Chave destino está correta: O pix disponibiliza uma confirmação de com os dados da pessoa que receberá o pagamento ou transferência, como o nome e um trecho do CPF. Sendo assim, sempre confira com atenção se as informações correspondem à pessoa para qual deseja realizar a transação.

Não fornecer informações ou dados pessoais a desconhecidos: há casos de pessoas que necessitam diariamente, utilizar suas Chaves Pix com “estranhos”. Isto pode ser um problema por não ter como saber se a pessoa é de confiança, tendo isto em vista, o recomendável é se utilizar da chave Aleatória em que serão gerados 32 dígitos aleatoriamente para realizar sua identificação.

Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil
Pix é o pagamento instantâneo brasileiro. O meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC) em que os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia. É prático, rápido e seguro. / Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

Ficar atento ao ser cobrado por transferências: O teto para transferências grátis no PIX é de 30 vezes, só será cobrado alguma tarifa caso esse limite seja estourado, portanto, deve-se sempre ter a atenção se a cobrança está sendo feita de fato pela empresa. 

Não clicar em links suspeitos: uma das formas de se aplicar golpes no PIX é através de um link, se utilizando do nome da empresa, geralmente dizendo que há uma conta pendente à ser paga, ou dando direito à algum benefício não anunciado pelo PIX, uma vez clicado, esse link te direciona para uma página onde serão roubadas suas informações. Posto isto, é necessário sempre duvidar e estar atento se a transação está sendo feita com uma pessoa confiável e se de fato é ela, em vista que, alguém pode se passar por ela através do roubo de informações. 

Errei ao fazer o Pix, o que faço?

Nestes casos, não se desespere, entenda o que pode ser uma solução para recuperar a quantia perdida. 

A partir do momento em que se percebeu que o valor da transação não foi enviado ao destino correto, deve-se primordialmente identificar para quem foi. Em caso de chaves que foram cadastradas com alguma informação (CPF, e-mail…) da pessoa que recebeu o dinheiro, esse procedimento fica mais fácil, todavia, se assim não for, explique ao banco e peça as informações. Feito isso, entre em contato e cordialmente peça a devolução, caso a pessoa se recuse a devolver, reúna provas (uma boa alternativa é tirar prints da conversa) e faça um boletim de ocorrência. 

Contudo, é crucial estar atento para não se encontrar nesta situação, pois o banco não é obrigado a ceder as informações em casos de não identificação, e ainda não cabe a ele, por lei, restituir o valor perdido.  

Conteúdo por Lucas Machado