Esqueceu de sacar seu PIS/Pasep? Ainda está em tempo. Veja como.

O trabalhador que esqueceu de sacar o abono salarial 2019 pode solicitar a retirada.

Às vezes, na correria da vida, acabamos adiando nossos compromissos. Contudo, aqui vai um aviso de oportunidade de uma grana extra e que pode ajudar até mesmo a saldar alguma dívida. Diz respeito ao abono salarial.

Trabalhadores que esqueceram de realizar a solicitação do PIS/Pasep, ainda podem pedir para movimentar o saldo. As regras valem para os trabalhadores que esqueceram ou que preferiram não sacar o abono no ano-base de 2019 ou de 2020.

Pelas regras gerais, os cidadãos deveriam ter sacado o dinheiro entre os meses de julho de 2019 e julho de 2020. No entanto, há casos de pessoas que preferiram não movimentar o saldo naquele momento. E, como dito, também existem as situações de indivíduos que simplesmente esqueceram de realizar a solicitação oficialmente.

Para os dois grupos, há uma oportunidade de solicitar o complemento até o final deste ano. Inicialmente, o prazo para a solicitação dos valores esquecidos começaria no início de fevereiro. No entanto, o Governo Federal optou por iniciar o processo apenas no dia 31 de março. De toda forma, a janela de pedidos já está valendo.

Como consultar as cotas do PIS/Pasep?

O cidadão não precisa sair de casa para consultar os valores esquecidos nos abonos PIS/Pasep. Ele pode realizar a verificação ao ligar para o número de telefone 158, ou ainda pelo aplicativo da própria carteira digital. Quem já tem a aplicação no celular, precisa realizar uma atualização.

Vale lembrar que o valor esquecido desta fase não tem relação com a nova liberação do PIS/Pasep deste ano de 2022. Este novo repasse trata-se de um lote diferente com pagamentos que começam no dia 8 de fevereiro. 

Para esta situação, a possibilidade de saque se estende até o próximo dia 29 de dezembro.

Quem tem direito ao PIS/Pasep?

De forma geral, as pessoas que têm direito ao abono salarial PIS/Pasep são aquelas que trabalharam com carteira assinada durante ao menos 30 dias no ano-base do pagamento do complemento em dinheiro.

Além disso, o trabalhador precisa ter recebido, em média, até dois salários mínimos mensais no ano-base do pagamento. O Governo lembra ainda que é preciso estar inscrito na base do PIS/Pasep há pelo menos cinco anos para se tornar elegível.

Para quem trabalhou na iniciativa privada, o calendário de pagamentos considera apenas o mês de aniversário do cidadão. Quem é servidor público, considera o número final da inscrição para saber quando pode receber o dinheiro.

Qual é o valor?

De acordo com as informações oficiais, o valor dos pagamentos do abono PIS/Pasep varia conforme a situação de cada trabalhador. Tudo depende de quanto tempo o cidadão trabalhou no ano-base das informações.

Quem trabalhou os 12 meses completos do ano-base, pode receber um salário mínimo de abono. Quem trabalhou menos, recebe o valor correspondente proporcional. 

Comentários estão fechados.