Estou desempregado e quero contribuir para o INSS. O que fazer?

0

Os cidadãos que estavam exercendo alguma atividade remunerada, e atualmente se encontram desempregados, podem recolher para o INSS como facultativos.

A vantagem desses recolhimentos é a manutenção da qualidade de segurado do contribuinte, podendo solicitar os benefícios previdenciários, como os decorrentes de incapacidade para o trabalho, aposentadorias, auxílios e pensões aos seus dependentes.

Para isso, o cidadão poderá recolher com uma alíquota de 11% ou 20% do salário mínimo. Lembrando que o valor do recolhimento pode variar conforme for o interesse do contribuinte, uma vez que as contribuições vão refletir a renda mensal do benefício que futuramente solicitar.

INSS

Fique atento

A pessoa que pretende recolher sobre 11% do salário mínimo terá direito a aposentadoria por idade, benefícios por incapacidade e pensão aos dependentes. No entanto, ela não terá direito a aposentadoria por tempo de contribuição.

Já quem recolhe sobre 20% do salário mínimo, terá este tempo considerado para cálculo de aposentadoria por tempo de contribuição, mesmo após a reforma da previdência, podendo se enquadrar nas regras de transição.

Conteúdo original por Ana Flavia Vernaschi Especialista em Direito Previdenciário

Dica extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.