Estresse no trabalho: 56,3% dos diretores afirmam que não conseguem conciliar lazer e trabalho

0

De acordo com levantamento realizado pela startup de pesquisas Pulse com 84 empresas e mais de 7 mil profissionais, os diretores executivos estão se sentindo mais sobrecarregados, estressados e com dificuldade para equilibrar lazer e trabalho: 56,3% destacaram que a carga de trabalho está alta – no caso dos não gestores, esse nível despenca para 25,6%.

“O gestor sabe que quanto mais cresce na carreira, maior são as responsabilidades e demandas, ou seja, as pressões não diminuirão, mas cabe a ele agir para que o caminho seja mais equilibrado e menos estressante”, diz Uranio Bonoldi, superintendente executivo da Indrel.

Mas a busca pelo equilíbrio entre trabalho e descanso, empresa e família, dedicação e relaxamento não é das mais simples. Uma parte fundamental dessa busca é saber quando descansar.

Com as tecnologias que existem hoje, acaba sendo cada vez mais difícil sair do trabalho – smartphones, tablets e notebooks acabam fazendo com que o gestor fique em constante estado de prontidão, sempre alerta para responder demandas – “por isso, é importante delimitar um horário para se desligar, nem que seja por apenas quatro ou três horas.

O tempo para a higiene mental, para cuidar de si próprio, fazer algo que não seja relacionado ao trabalho deve entrar na rotina”, comenta.

Além da hora para não pensar em trabalho, repassar aquilo que outros profissionais podem fazer em seu lugar, ajuda a suavizar a pressão. “Delegar funções é imprescindível para manter uma boa saúde mental, afinal, ninguém dá conta de tudo sozinho.

Daí a importância também de treinar os colaboradores, de incentivá-los, ter uma boa relação com a equipe para que ela possa estar na sua retaguarda de maneira assertiva”.

Exercícios físicos regulares e sessões de conversa com os funcionários também ajudam a dissipar a sobrecarga – “dar e receber feedbacks incentiva a participação na empresa e motivar os colaboradores, o que mais uma vez, desafoga a correria do gestor no dia a dia”. 

Outro ponto que ajuda a pensarmos em equilibrar nosso dia a dia é o que Uranio chama de 8, 8, 8. Ou seja, “procure destinar 8 horas ao trabalho, 8 horas ao lazer, – que inclui leituras, exercícios físicos, estar com a família e 8 horas de sono.

Claro, dependendo do cargo, esta relação pode mudar, por exemplo, 11, 6 e 7, respectivamente. Sem problema, mas o importante é saber que precisamos e devemos ter a disciplina de equilibrar nossas atividades diárias ou semanais”.

Gerenciar o tempo e ter disciplina para dar prioridade ao que é mais importante e evitar procrastinações também faz para que o estresse seja reduzido.

“Fuja das reuniões improdutivas, crie uma escala e coloque pesos para as principais questões a serem resolvidas, estabelecendo metas que você e a equipe são capazes de alcançar, – dessa maneira, você respeita os limites do seu corpo e da sua mente”, finaliza Uranio.