Evento discute novas regras do Supersimples


As novas regras do Supersimples começaram a valer no início deste ano, mas as empresas ainda têm diversas dúvidas sobre as alterações e se vale ou não a pena fazer parte do sistema simplificado de tributação. Pensando nisso, o Grupo Sage realiza no próximo dia 15, no Rio de Janeiro, debate sobre o novo Supersimples e os impactos das mudanças no Simples Nacional para as micro e pequenas empresas. O evento é gratuito e ocorrerá no Centro de Convenções Bolsa do Rio às 9h.

O debate terá a presença de executivo do Comitê Gestor do Simples Nacional, Silas Santiago, que abordará as alterações trazidas pela Lei Complementar nº 147/2014, que mudou regras do Simples. O consultor da IOB I Sage, Valdir Amorim, comentará sobre as diversas obrigações acessórias a que todas as micro e pequenas empresas estarão sujeitas. O gestor de políticas públicas do Sebrae-RJ, Bruno Quick, falará sobre a substituição Tributária no Simples Nacional.

O evento é uma realização do Grupo Sage junto ao Sage One, software para emissão fiscal, e conta com o apoio do Conselho Regional de Contabilidade do Rio de Janeiro, Sebrae-RJ, Associação Comercial do Rio de Janeiro e Sescon Rio de Janeiro.

Anúncios

Atividades como fisioterapia, corretagem de seguros, odontologia, psicologia, auditoria, jornalismo, publicidade, dentre outras, também poderão desfrutar do sistema. Segundo dado do Sebrae, o Supersimples reduz, em média, em 40% a carga tributária, além de simplificar e desburocratizar o processo de recolhimento de tributos. A estimativa é de que mais de 450 mil empreendimentos entrem no sistema, que passará a contemplar mais de 140 atividades.
As alterações do Simples Nacional devem fazer com que as micro e pequenas empresas realizem uma ampla análise ao entrar no sistema. Além de verificar se existe a necessidade de separar as receitas de acordo com as diferentes atividades da empresa, é essencial avaliar se vale a pena aderir ao regime.

As atividades intelectuais, que antes não estavam no Supersimples, foram classificadas no anexo 6 da tabela de alíquotas. Medicina, veterinária, odontologia, psicologia, fonoaudiologia, auditoria, jornalismo, publicidade, arquitetura, representação comercial, dentre outras novas atividades, estarão sujeitas a alíquota de 16,93% a 22,45%, consideradas pesadas. É importante analisar a quantidade de mão de obra utilizada e quanto as empresas pagam de ISS fora do Simples.

É importante também separar as receitas de empresas que realizam atividades diversas e podem ser classificadas em anexos distintos, com alíquotas diferentes. A análise para entrar no Simples deve considerar ainda as obrigações acessórias a que todas as micro e pequenas empresas estão sujeitas, além de ser necessária uma avaliação de todas as variáveis operacionais, administrativas e societárias no momento da opção.

O Novo Supersimples

Data: 15 de janeiro, quinta-feira
Horário: das 9h às 13h
Local: Centro de Convenções Bolsa do Rio
Endereço: Praça XV de Novembro, 20, Centro – Rio de Janeiro
Inscrições aqui.

 

[useful_banner_manager banners=5 count=1]

Comente no Facebook

Comentários

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.