Ex-ministro prevê mega epidemia no Brasil daqui dois meses

0

O ex-ministro da Saúde na gestão Bolsonaro, Luiz Henrique Mandetta, declarou ontem, 27 de janeiro, em entrevista ao programa Manhattan Conenection da TV Cultura, que dentro de 60 dias o país poderá viver uma mega epidemia causada pela variante do coronavírus descoberto em Manaus-AM.

Os pacientes da cidade de Manaus que foram transferidos para outros estados brasileiros são alvo de muita preocupação dos profissionais da saúde. Ao que tudo indica não se dá pela crise do sistema de saúde do Amazonas, mas sim pelo fato de que grande parte dos infectados no Amazonas já apresentaram nova cepa brasileira do coronavírus.

Mandetta explicou que “hoje nós temos quatro grandes crises sanitárias. E entrando a quinta crise que é essa história, dessa Cepa, dessa variante de Manaus, que o mundo inteiro está fechando os voos para o Brasil e o Brasil está, não só aberto normalmente, como está retirando paciente de Manaus e mandando para Goiás, mandando para a Bahia, mandando para outros lugares sem fazer os bloqueios de biossegurança. Provavelmente, a gente vai plantar essa Cepa em todos os territórios da federação e daqui a 60 dias a gente pode ter uma mega epidemia”.

mandetta

Vacinas

Mandetta foi questionado sobre qual seria sua vacina preferida, para o uso individual o ex-ministro indicou a da Pfizer sendo a melhor opção tendo em vista que possui 95% de eficácia.

Contudo, para que possa ocorrer a imunização coletiva no país, ex-ministro citou as vacinas Coronavac e da AstraZeneca/Oxford. “Para um país como o Brasil, continental, que não tem como levar uma vacina a – 70ºC a todos os rincões. Tanto a vacina da Corona (Coronavac) e Astrazeneca, (armazenadas) de 2º a 8º, são aquelas que melhor se aplicam. E aquela que tiver disponível, eu vou tomar”.