Quem planeja passar um tempo no exterior, muitas vezes, está com foco em aprimorar um idioma ou algum curso específico. Porém, essa experiência pode ser muito mais enriquecedora. Para jovens empreendedores, em especial, a oportunidade pode trazer um impacto poderoso ao conectá-lo com pessoas e experiências únicas em culturas diferentes.

A EHL, Ecole Hôtelière de Lausanne, reconhecida escola de hospitalidade na Suíça, reúne estudantes de todo os cantos do globo, permitindo que eles se beneficiem não apenas da educação de primeira classe mas, também, desenvolvam uma compreensão mais profunda dos mercados internacionais e construam uma sólida rede pessoal. Inès Blal, Executive Dean da EHL (reitora), descreve cinco dicas sobre como investir tempo em outros países pode beneficiar empreendedores.

1. Fazer conexões culturais

O aprendizado de idiomas é o mais lembrado quando se fala dos benefícios de estudar no exterior. Embora seja importante, igualmente significativo é a bagagem cultural que a passagem por um novo país traz.

2. Desenvolver inteligência emocional

Viajantes podem desenvolver essa habilidade e outras competências ao conduzirem certos processos que, antes corriqueiros, podem não ser iguais para outras nacionalidades e, portanto, será preciso tentar algo novo. Isso gera flexibilidade na abordagem e traz uma enorme variedade de opções para se pensar ao encontrar um problema.

As experiências no exterior propiciam uma visão mais ampla e, para os empresários que conseguem guardar esse nível de curiosidade e atenção aos detalhes, aprimoram sua inteligência emocional para fechar negócios.

World Teachers’ Day background – 5 October Unesco World Teachers’s Day celebration concept

3. Desenvolver melhores habilidades de escuta

Estudar no exterior desenvolve habilidades de escuta e paciência, tão escassas na sociedade moderna. Mesmo entendendo o idioma local, o viajante ouvirá vários sotaques e expressões e estará exposto a diversos conceitos e didáticas.

Quando a pessoa se torna um ouvinte melhor, ela pode entender de forma clara o que o outro precisa e quer que seja entregue. Isso pode render um novo negócio e garantir a fidelidade do cliente.

4. Criar autoconfiança

Estudar e viajar no exterior coloca as pessoas em situações inesperadas. O viajante precisa confiar e si mesmo e se adaptar para prosseguir mesmo quando o resultado não é óbvio. Isso pode ser intimidador, mas quando se desapega de antigos conceitos, algo maravilhoso acontece: a pessoa aprimora sua confiança e intuição e entende que tudo ficará bem, mesmo que não consiga prever o que vai acontecer. A exposição contínua a situações de incerteza cria equilíbrio e autoconfiança, habilidades que recompensam os jovens empreendedores.

5. Ter novas ideias

A neurociência diz que o cérebro é estimulado por novas atividades e informações. Então, a mente do viajante está trabalhando mais em um ambiente desconhecido.

Nesse sentido, passar um tempo em uma nova cultura aumenta a criatividade. Quando tudo é diferente do que se espera, ganha-se uma nova perspectiva sobre hábitos, rotinas, crenças e

ideias. Isso pode levar diretamente a novos pontos de vista, projetos criativos ou insights que tornam a pessoa melhor nos negócios e na vida.

O Grupo EHL engloba um portfólio de unidades de negócios que oferecem especialização e inovação em gerenciamento de hospitalidade em todo o mundo.

[elementor-template id=”121715″]