Está circulando pela internet e redes sociais inúmeros links falsos que dizem que é para o cadastro no Auxílio Emergencial de R$ 600 do governo. Ao invés de receber o benefício, quem utiliza estes links estão tendo os dados roubados.

Em pouco tempo o golpe soma-se 6,7 milhões de compartilhamentos e acessos em todo o país. As informações levantadas são do laboratório de segurança digital da PSafe

De acordo com a empresa, há uma média de 100 páginas falsas que perguntam sobre os dados pessoais. Como consequência faz com que os usuários compartilhem links em aplicativos.

Emilio Simoni diretor do laboratório da PSafe orienta que é importante se atentar ao endereço dos links acessados. Ele complementa que toda página do governo, por exemplo, possui uma terminção em “gov.br”

Já os sites falsos não possuem esse tipo de terminação. “Para ter certeza de que está em um site oficial, procure o endereço em um site de buscas”, afirma Simoni.

Como funciona o golpe?

Ao clicar no site indicado criminoso, o usuário é induzido a preencher questionário com três perguntas:

  1. “Você recebe Bolsa Família?”;
  2. “Você é autônomo?”;
  3. “Você quer receber o auxílio?”.

Depois de respondidas, aparecerá uma mensagem dizendo que o benefício já foi aprovado. No entanto, para isso é preciso compartilhar o link para os contatos do Whatsapp.

“Para tornar o ataque mais verídico, alguns golpes se aproveitam de ações reais que grandes empresas e o governo estão realizando para enfrentar o coronavírus, como a doação de álcool em gel e pagamento de benefícios à população”, afirma Emilio.

“A tendência é que o número de ataques e de vítimas aumente nos próximos dias, principalmente em decorrência do agravamento da situação do país neste momento de crise”, explicou.

Como evitar de cair no golpe?

A grande maioria dos golpes têm como intuito roubar os dados pessoais e financeiros de suas vítimas.

Para não cair no golpe o usuário precisa verificar o endereço do site. Além disso os dados pessoais só devem ser informados em sites que já são de conhecidos e de confiança, e acessados a partir de links divulgados pelas fontes oficiais.

Outras formas de não cair em golpes online são as seguintes:

  • Evite clicar em links que ofereçam brindes, prêmios ou benefícios;
  • Desconfie de informações sensacionalistas ou ofertas vantajosas;
  • Busque a informação em sites oficiais, como no Ministério da Economia e da Ministério da Saúde;
  • Não compartilhe mensagens sem verificar se a informação é verídica;
  • Não compartilhe mensagens de links suspeitos;
  • Utilize soluções de segurança que oferecem a função de detecção automática de ‘phishing’ (roubo de dados).