Fator R do Simples Nacional: Cálculo e definição

0

O Fator R diante da intenção de pagar impostos reduzidos é um instrumento legal considerado como elisão fiscal.

Entretanto o cálculo se trata de uma ferramenta direcionada somente aos empreendimentos optantes pelo Simples Nacional, bem como, em segmentos empresariais específicos. 

A ferramenta ainda disponibiliza campos de preenchimento distintos entre as atividades permitidas, tal qual a análise de que a empresa é regida pelo Simples Nacional.

Na prática o Fator R consiste na divisão da folha de pagamento referente aos últimos 12 meses, diante do faturamento do referido período.

Se o resultado for igual ou superior a 28%, a empresa deve ser tributada através do Anexo III (6%) do Simples Nacional. 

Em contrapartida, se o resultado foi inferior a 28%, a empresa automaticamente se enquadra no Anexo V (15,5%).

Lembrando que as normas são válidas para os empreendimentos optantes pelo Simples Nacional, além de auxiliar no enquadramento junto aos anexos mencionados, os quais, resultarão nos valores de tributos a serem pagos. 

O que é Elisão Fiscal?

A elisão fiscal se trata de uma prática legal que atua mediante as permissões e omissões legais provenientes da geração de impostos, no intuito de reduzir a carga tributária das empresas. 

Como calcular o Fator R

Apesar de não se tratar de um cálculo complexo, é recomendado que seja realizado junto a um profissional contábil.

Entretanto, ao considerar que surpresas podem surgir a qualquer momento, é imprescindível que o empreendedor também conheça como proceder com a situação.

Observe:  

1- É necessário encontrar o valor da folha salarial dos últimos 12 meses, isso inclui os salários, pró-labores dos sócios e o FGTS. Por fim, basta somar todos estes valores;

2- Calcule o faturamento bruto dos últimos 12 meses;

3- Divida o resultado da folha salarial pelo valor total do faturamento;

Fator R = Folha de salarial dos últimos 12 meses / Faturamento dos últimos 12 meses

Resultado: Se for igual ou maior do que 28%, a empresa pertencente ao anexo III.

Caso o resultado seja menor do que 28%, empresa pertencente ao anexo V.

É através deste resultado que será possível conhecer o percentual da alíquota a ser paga, podendo haver alterações consideráveis, entretanto, o objetivo é o mesmo, economizar e contribuir somente com os tributos devidos. 

Conforme o resultado, as alíquotas que sua empresa deve pagar de impostos mudam consideravelmente, é uma forma de economizar e não pagar mais tributos do que se deve.

Confira as tabelas do anexo III e o anexo V

Anexo III

Serviços – Academias, podologia, instalações, manutenções, medicina, lotéricas, contabilidade e outros

Receita Bruta Total em 12 mesesAlíquotaDesconto do valor recolhido
Até R$ 180.000,00           6%         0
De 180.000,01 a 360.000,0011,2%R$ 9.360,00
De 360.000,01 a 720.000,0013,5%   R$ 17.640,00
De 720.000,01 a 1.800.000,0016%      R$ 35.640,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,0021%      R$ 125.640,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,0033%R$ 648.000,00
simples nacional
Simples Nacional

Anexo V

Serviços – Publicidade, jornalismo, consultorias. Lista completa aqui.

Receita Bruta Total em 12 mesesAlíquotaDesconto do valor recolhido
Até R$ 180.000,00           15,5%0
De 180.000,01 a 360.000,0018%      R$ 4.500,00
De 360.000,01 a 720.000,0019,5%                   R$ 9.900,00
De 720.000,01 a 1.800.000,0020,5%   R$ 17.100,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,0023%      R$ 62.100,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,0030,50%                R$ 540.000,00

Atividades pertencentes ao Fator R

A lista a seguir apresenta as atividades enquadradas no anexo III e V que estão sujeitas ao cálculo do Fator R mensalmente:

  • administração e locação de imóveis de terceiros, assim entendidas a gestão e administração de imóveis de terceiros para qualquer finalidade, incluída a cobrança de aluguéis de imóveis de terceiros;
  • academias de dança, de capoeira, de ioga e de artes marciais;
  • academias de atividades físicas, desportivas, de natação e escolas de esportes;
  • elaboração de programas de computadores, inclusive jogos eletrônicos, desde que desenvolvidos em estabelecimento da optante;
  • licenciamento ou cessão de direito de uso de programas de computação;
  • planejamento, confecção, manutenção e atualização de páginas eletrônicas, desde que realizados em estabelecimento da optante;
  • empresas montadoras de estandes para feiras;
  • laboratórios de análises clínicas ou de patologia clínica;
  • serviços de tomografia, diagnósticos médicos por imagem, registros gráficos e métodos óticos, bem como ressonância magnética;
  • serviços de prótese em geral;
  • fisioterapia;
  • medicina, inclusive laboratorial, e enfermagem;
  • medicina veterinária;
  • odontologia e prótese dentária;
  • psicologia, psicanálise, terapia ocupacional, acupuntura, podologia, fonoaudiologia, clínicas de nutrição e de vacinação e bancos de leite;
  • serviços de comissaria, de despachantes, de tradução e de interpretação;
  • arquitetura e urbanismo;
  • engenharia, medição, cartografia, topografia, geologia, geodésia, testes, suporte e análises técnicas e tecnológicas, pesquisa, design, desenho e agronomia;
  • representação comercial e demais atividades de intermediação de negócios e serviços de terceiros;
  • perícia, leilão e avaliação;
  • auditoria, economia, consultoria, gestão, organização, controle e administração;
  • jornalismo e publicidade;
  • agenciamento; 
  • demais atividades do setor de serviços que, com a finalidade de prestar serviços a caráter intelectual, de natureza técnica, científica, desportiva, artística ou cultural, que constitua profissão regulamentada ou não, desde que não sujeitas à tributação na forma dos Anexos III ou IV da Lei Complementar 123/2003.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Laura Alvarenga