Se a sua empresa se enquadra no regime do Simples Nacional e dependendo da atividade desempenhada, em algum momento você irá se deparar com o Fator R.

Ele é um cálculo realizado por diversas empresas do Simples Nacional para identificar o anexo em que ela se encaixa e assim observar sua alíquota de tributação.

Portanto, dada sua importância, as empresas devem dispor de atenção dedicada ao seu cálculo.

Veja esse conteúdo e entenda o que é o Fator R, sua importância e é claro como realizar o seu cálculo.

Fator R, o que é?

O Fator R é um cálculo no qual a porcentagem encontrada define o anexo que a empresa será enquadrada para a tributação no Simples Nacional.

Ou seja, de acordo com os movimentos financeiros da empresa é possível caminhar por dois anexos do regime e, consequentemente, a cada mês ter uma alíquota diferente de tributação.

De acordo com o resultado apresentado, se o valor for superior a 28%, sua empresa irá seguir as alíquotas apresentadas no Anexo III do Simples Nacional.

Contudo, se a porcentagem apresentada for menor que 28%, a empresa deverá seguir as alíquotas contidas no Anexo V.

O cálculo do Fator R favorece também ao empresário, analisar os custos com folha de pagamento em comparação à receita bruta da empresa.

Todas as especificações acerca desse cálculo do Fator R estão contidas no artigo 18 da Lei Complementar nº 123 de 14 de Dezembro de 2006.

Lembrando que o recomendável é sempre buscar uma assessoria contábil para acompanhar o pagamento de tributos de sua empresa.

Como calcular o Fator R?

Inicialmente, deve-se conhecer os fatores e dados que serão utilizados para a realização do cálculo do Fator R.

Sua obtenção ocorre com base nos seguintes dados:

Com esses dados em mãos você deve aplicá-los na fórmula abaixo e assim chegar a porcentagem da sua empresa:

Fator R = Folha de pagamento (12 meses) /Receita bruta (12 meses)

Um Exemplo para entender:

“Uma empresa faturou R$ 850.000,00 nos últimos 12 meses de acordo com o levantamento, e realizou o pagamento de R$ 200.000,00 em salários, encargos e pró-labore.

Aplicando na Fórmula do fator: Fator R: 200.000/850.000, temos o seguinte valor: 0,23 ou seja 23%.

De acordo com o valor, identifica-se que essa empresa deverá seguir a alíquota do anexo V do Simples Nacional.”

Porque ele é tão importante?

Por meio dele, as empresas conseguem analisar os dados referentes às suas atividades e assim tomar decisões importantes.

Uma vez que o Anexo V costuma possuir alíquotas mais altas que o Anexo III, e o que todo empresário quer é pagar menos tributos possíveis.

Para isso, é preciso balancear o valor da receita bruta e do valor gasto em folha de pagamento, encargos e pró-labore.

Isso para que consiga manter sempre a porcentagem do Fator R acima dos 28% e assim conseguir se enquadrar no Anexo III.

Além disso, o Fator R beneficia e muito as empresas que destinam grande parte da receita ao pagamento de salários e afins. 

Pois, quanto maior esse valor em relação a receita bruta maior a porcentagem do Fator R e, portanto, alíquotas mais baixas do Anexo III.

O Fator R também se tornou uma ferramenta muito boa para que a Receita evite que as empresas tentem fugir do Anexo V, fazendo opção por outra atividade.

Isso acontecia muito anteriormente. A empresa escolhia uma outra atividade, mesmo que não correspondesse com a realidade, para entrar em um anexo com alíquotas menores.

Quais atividades devem calcular o Fator R?

As atividades que devem ficar atentas quanto ao cálculo do Fator R estão especificadas no Art 18 da Lei Complementar nº 123.

Entre essas atividades estão a prestação de serviços, dentre as mais diversas áreas, como: fisioterapia, medicina, enfermagem, psicologia e odontologia.

Atividades de Construção, como: Arquitetura e Urbanismo, Engenharia, medição, cartografia, topografia entre outros.

Serviços de administração e locação de móveis e imóveis e academias de atividades físicas em geral.

Outras atividades que também estão sujeitas ao cálculo do Fator R estão apresentadas abaixo:

  • Elaboração de programas de computadores, inclusive jogos eletrônicos;
  • Licenciamento ou cessão de direito de uso de programas de computação;
  • Planejamento, confecção, manutenção e atualização de sites;
  • Empresas montadoras de estandes para feiras;
  • Medicina veterinária;
  • Serviços de comissaria, de despachantes, de tradução e de interpretação;
  • Representação comercial e demais atividades de intermediação de negócios e serviços de terceiros;
  • Perícia, leilão e avaliação;
  • Auditoria, economia, consultoria, gestão, organização, controle e administração;
  • Jornalismo e publicidade;
  • Agenciamento, exceto de mão de obra;
  • E outras atividades relacionadas à prestação de serviços do ramo intelectual.

Invista na Gestão Empresarial e torne sua tomada de decisão mais assertiva!

Nesse artigo você teve acesso a diversas informações a respeito do Fator R do Simples Nacional.

Por meio dele é possível analisar os dados referentes às suas atividades empresariais e assim tomar decisões importantes, principalmente com relação ao pagamento de tributos ao governo.

A estratégia empresarial que leva em consideração o Fator R, se bem feita, permite ao empresário gerar economia em seu negócio.

Porém, há outros pontos que merecem atenção e influenciam diretamente nesse fator “economia”.

Para isso, faça o seguinte questionamento: quanto é destinado dentro de seu negócio, em termos de investimento em mão de obra qualificada, para controlar seu estoque, produzir relatórios e organizar seus fluxos operacionais?

A resposta deixou você reflexivo por um instante? Então chegou a hora de investir em um bom Sistema de Gestão.

Uma das principais vantagens que um bom sistema de gestão pode trazer para o seu negócio é a redução de custos.

Através dele é possível integrar todos os processos da empresa, compartilhando informações relevantes e precisas para o negócio, aumentando a eficiência organizacional como um todo.

Além disso, o Sistema de Gestão é capaz de automatizar diversas tarefas e facilitar o atendimento aos seus clientes, o que aumenta a produtividade e acaba reduzindo o custo total do trabalho empregado em cada etapa do seu negócio.

Ou seja, utilizar um Sistemas de Gestão Fiscal e Administrativo gera uma economia real em mão de obra em diversas áreas da suas empresa.

A Soften Sistemas conta com os Melhores Sistemas de Gestão do mercado

Como visto, é bom possuir ferramentas de controle total do seu negócio que trabalhe com eficiência, assim como os aplicativos da Soften Sistemas.

A empresa especializada possui dois modelos de softwares ERP: o Soften SIEM, aplicativo desktop; e o GerencieAqui, sistema online.

O cliente tem também, somado à eficiência dos softwares, implantação e treinamento gratuitos e auxílio do suporte técnico ilimitado.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Original por Soften Sistemas