O governo deve anunciar nos próximos dias um novo programa de saques das contas ativas do FGTS, é a segunda vez que o governo articula uma política do gênero, na expectativa de estimular a economia: a primeira foi em 2017, quando a gestão de Michel Temer liberou 44 bilhões de reais das contas inativas.

A forma como será realizada o pedido de saque e os valores ainda não foram definidas, uma das uma das opções estudadas é que o valor máximo permitido seja de 35% ou R$ 3 mil.

Entenda o que é o FGTS

A sigla FGTS significa “Fundo de Garantia do Tempo de Serviço”, e, como o próprio nome diz, é um fundo/poupança, em que todo mês é depositado dinheiro pelo empregador em uma conta do seu empregado, funcionando como uma poupança para o Trabalhador, podendo este sacar os valores em algumas situações.

Ressalte-se que, o FGTS é direito constitucional, DEVENDO o empregador fazer o depósito de 8% do SALÁRIO BRUTO do empregado todo início de mês, em uma conta aberta no nome do trabalhador na Caixa Econômica Federal – CEF.

Conheça algumas situações para saque do FGTS até o momento

Trabalhistas, as seguintes situações permitem o saque do FGTS:

  • Na demissão sem justa causa, feita pelo empregador;
  • No término do contrato por prazo determinado;
  • Na rescisão do contrato por culpa recíproca ou força maior;
  • Na rescisão do contrato por extinção total da empresa; supressão de parte de suas atividades; fechamento de quaisquer de seus estabelecimentos, filiais ou agências; falecimento do empregador individual ou decretação de nulidade do contrato de trabalho;
  • Na rescisão por acordo entre o trabalhador e o ex-empregador (a partir de 11/11/2017 – Lei nº 13.467/2017 Reforma Trabalhista);
  • Quando a conta permanecer sem depósito por 03 (três) anos ininterruptos, cujo afastamento tenha ocorrido até 13/07/90;
  • Quando o trabalhador permanecer por 03 (três) anos ininterruptos fora do regime do FGTS, cujo afastamento tenha ocorrido a partir de 14/07/90;
  • Na suspensão do Trabalho Avulso;
  • Na aposentadoria;

Situações envolvendo idade avançada, doença grave ou falecimento:

  • No falecimento do trabalhador, os seus beneficiários podem requisitar o saque;
  • Quando o titular da conta vinculada tiver idade igual ou superior a 70 anos. Nesse caso, o idoso poderá sacar mensalmente o seu fundo;
  • Quando o trabalhador ou seu dependente for portador do vírus HIV;
  • Quando o trabalhador ou seu dependente estiver acometido de neoplasia maligna – câncer;
  • Quando o trabalhador ou seu dependente estiver em estágio terminal, em razão de doença grave;

Acessibilidade e desastres naturais

  • Na aquisição de Órtese e/ou Prótese não relacionadas ao ato cirúrgico e constantes na Tabela de Órtese, Prótese e Meios Auxiliares de Locomoção – OPM, do Sistema Único de Saúde – SUS, para promoção de acessibilidade e inclusão social – a partir do Decreto nº 9.345/18.
  • No caso de necessidade pessoal, urgente e grave, decorrente de desastre natural previsto no Decreto nº 5.113/2004, que tenha atingido a área de residência do trabalhador, quando a situação de emergência ou o estado de calamidade pública for assim reconhecido, por meio de portaria do Governo Federal;
  • Quando envolve a aquisição de imóvel
  • Na amortização, liquidação de saldo devedor e pagamento de parte das prestações adquiridas em sistemas imobiliários de consórcio;
  • Para aquisição de moradia própria, liquidação ou amortização de dívida ou pagamento de parte das prestações de financiamento habitacional;
  • O proprietário de fração ideal igual ou inferior a 40% de imóvel residencial, quitado ou financiado, concluído ou em construção, para adquirir novo imóvel;
  • O cônjuge separado, proprietário de imóvel residencial, concluído ou em construção, para adquirir novo imóvel, desde que tenha perdido o direito de nele residire atenda às condições necessárias;
  • O proprietário de uma fração de imóvel residencial quitado ou financiado pode comprar a fração remanescente do mesmo imóvel, com recursos doFGTS.
  • Entretanto, é preciso constar na mesma escritura aquisitiva do imóvel, como co-proprietário ou no mesmo contrato de financiamento.
  • Neste caso particular, a detenção de fração ideal pode ultrapassar os 40%, mas devem ser atendidas, portanto, as demais condições necessárias para utilização do FGTSna compra do novo imóvel;
  • O proprietário de lotes ou terrenos pode utilizar o FGTSpara compra de imóvel residencial, desde que comprovada a inexistência de edificação, através da apresentação do carnê do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e matrícula atualizada do imóvel;
  • O detentor de imóvel residencial recebido por doação ou herança pode utilizar o FGTSna compra de outro imóvel somente se o imóvel recebido estiver gravado com cláusula de usufruto vitalício em favor de terceiros;
  • Envolvendo a construção do imóvel
  • Osaque do FGTS pode ser utilizado para construção.
  • Entretanto, o uso tem que ser vinculado a um financiamento concedido dentro ou fora do SFH (Sistema Financeiro Habitacional).
  • Na aquisição e construção de imóvel misto (destinado à residência e instalação de atividades comerciais).
  • Entretanto, o valor debitado só pode ser utilizado para adquirir fração correspondente à unidade residencial.
  • Além disso, o imóvel a ser adquirido deve estar localizado no município onde a pessoa que solicitar o FGTS,exerça sua ocupação principal; em município limítrofe ou integrante da região metropolitana; ou no município em que o mesmo resida comprovadamente há pelo menos 1 ano.
  • O cônjuge ou companheiro pode utilizar o recurso de sua conta vinculada para aquisição de imóvel se também for proprietário do bem.
  • Será verificado o regime de bens adotado no casamento.
  • A solicitação do saque deve ser feita pelo trabalhador (ou representante), em uma agência da Caixa, portando os documentos necessários.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.