O FGTS é um direito de todos os trabalhadores assalariados, e pode ser comparado a uma “poupança”. Neste fundo, mensalmente, o contratante/empregador é responsável por depositar uma porcentagem (8%) do salário do trabalhador, para que no futuro, este possa usufruir do benefício. Mas, por que apenas no futuro? O saque do FGTS poderá ser liberado em mais situações ao trabalhador. Confira.

Saque do FGTS poderá ser liberado por mais motivos ao trabalhador

Atualmente, existem critérios rigorosos e bem definidos para que o saque do FGTS seja possível, e com isso, são raras as situações em que é possível ter acesso ao benefício. São elas:


  • Demissão sem justa causa;
  • Rescisão de contrato ou finalização do mesmo;
  • Diagnóstico de doença grave, como HIV;
  • Situações de desastre natural, a exemplo de enchentes;
  • No momento da aposentadoria.
  • Dentre outros.

Embora atualmente a legislação seja restrita, tudo parece estar prestes a mudar. A seguir, saiba mais sobre as prováveis “revoluções” do FGTS.

O que pode mudar?

O novo governo, desde o início deste ano (2019), têm realizado mudanças em diversos setores, sendo a economia um deles. Por exemplo, o governo de Jair Messias Bolsonaro pretende liberar novamente os saques das contas inativas do FGTS, aumentar a rentabilidade do FGTS, possibilitar a gestão dos recursos por outras instituições financeiras, e liberar o saque do FGTS por outros motivos. Saiba todas as mudanças que o FGTS poderá ter, aqui neste artigo que foi publicado recentemente no site Seu Crédito Digital.

Saque do FGTS poderá ser liberado por mais motivos

Quanto ao a possibilidade do saque do FGTS por outros motivos, e cogitada pelo governo, é a ampliação das possibilidades normais. Atualmente, os motivos são bem restritos, e o saque somente é liberado em caso de demissão sem justa causa, na aposentadoria, na compra da casa própria e em outras situações.

“Existem diversas formas de saque. Isso vai exigir mudança da lei. Por isso mesmo, queremos fazer de forma bem pensada, amadurecida. Estamos dialogando diuturnamente com o Congresso”, acrescentou o secretário da Fazenda do Ministério da Economia – Waldery Rodrigues Junior, em evento na sede do BNDES no Rio de Janeiro.

Contudo, ainda não sabemos quais seriam estes motivos. Resta à população aguardar e torcer para que essas mudanças propostas pelo governo sejam benéficas e que o FGTS possa ser melhor aproveitado por todos os trabalhadores.