FGTS pode ser usado para pagar até 12 parcelas em atraso de imóvel

Trabalhadores poderão quitar até 12 parcelas referentes ao financiamento de imóvel utilizando os recursos do FGTS. 

No final do último mês de abril, o Conselho Curador do FGTS autorizou a ampliação do limite do saldo que poderá ser utilizado para o pagamento de parcelas atrasadas, em financiamentos imobiliários. A medida começa a valer hoje, dia 2 de abril e permanecerá em vigor até 31 de dezembro de 2022. 

Até então, só era permitido utilizar o FGTS para pagar até 3 (três) prestações atrasadas, entretanto, a medida permite que trabalhadores consigam utilizar o saldo para quitar até 12 (doze) parcelas mensais. Antes, isto somente era possível mediante a uma autorização judicial. 

Segundo informações do conselho, cerca de 80 mil de cidadãos devedores de financiamento de imóvel, contam com mais de 3 prestações de atraso. Do montante total de mutuários, metade possui saldo no FGTS, o que faz a medida de ampliação pertinente. 

Conforme o divulgado, será possível abater cerca de 80% de cada prestação que o saldo presente na conta pode pagar, respeitando o limite de 12 parcelas em atraso. 

De todo modo, para participar da oportunidade, trabalhadores interessados devem procurar a instituição onde fizeram o financiamento habitacional. Neste momento, será necessário que o cidadão assine um documento que permitirá a movimentação do respectivo saldo do FGTS

Quem pode utilizar o FGTS para abater as prestações em atraso? 

Vale ressaltar que no manual do FGTS, atualizado pela Caixa Econômica Federal, as normas para o novo mecanismo seguem os mesmos critérios de trabalhadores que utilizam os recursos do fundo. Ou seja, deverá ser respeitado os seguintes requisitos: 

  • Não possuir outro financiamento por meio do SFH ativo; 
  • Não poderá ter posse de outro imóvel no município em que o mutuário reside; 
  • Possuir, ao menos, três anos de contribuição do FGTS. 

Ademais, o uso dos recursos do fundo somente estará disponível para imóveis cujo valor não supere R$ 1,5 milhão.Outro ponto importante diz respeito a quem já utilizou o FGTS para abater em prestações em atraso. 

Conforme o divulgado, cidadãos que já haviam quitado até 3 prestações (limite até então permitido) não poderão utilizar os recursos do FGTS novamente para abater as parcelas atrasadas até o fim desse intervalo. 

Comentários estão fechados.