FGTS: Trabalhador pode utilizar saldo para abater prestações de financiamento?

190
FGTS

O saldo da conta do  junto à Caixa Econômica pode ser de grande ajuda para o . Porém o seu obedece a determinados critérios e hipóteses bem definidos em lei. Muitas pessoas já sabem que podem usá-lo na hora de dar entrada em imobiliário, por exemplo. Mas seria possível também amortizar uma dívida de imobiliário já existente? Confira.

Uso do saldo do na , para quitar parte das 12 prestações seguintes

É possível utilizar o saldo do na para abater prestações de ? Veja

Amortizar é diminuir o valor de uma dívida existente. O cliente pode utilizar o montante que existe em seu , para pagar até 80% de no máximo 12 prestações seguintes do contrato.

Dentre essas prestações, podem existir até 3 em atraso. E esse processo pode ser repetido.

Essa é uma ótima opção, sobretudo, para quem está tendo dificuldades momentâneas para honrar o contrato, e, assim, pagar as prestações com valores cheios.

Diminuir o valor das parcelas

O mutuário, comprador do imóvel financiado também pode usar o saldo do  e abater do total das prestações ainda existentes.

Leia Também:  FGTS: Medida Provisória garante pagamento automático por empresas

Dessa forma, lança-se mão do saldo da conta vinculada para diminuir o valor das prestações faltantes. Mas a quantidade de parcelas a serem pagas continua a mesma.

Diminuição da quantidade das parcelas faltantes

Uma outra maneira de amortizar a dívida de através do é simplesmente diminuir o tempo de pagamento.

Dessa forma paga-se com o saldo existente na conta vinculada à , o maior número possível de prestações de forma antecipada.

Logo, se por exemplo, faltarem 200 prestações, usando o  o consegue pagar 50 prestações. Assim sendo, ficariam faltando após isso, 150 prestações do contrato a serem pagas.

Em resumo

O que possua saldo no  pode usá-lo para amortizar o imobiliário que possua.

Poderá fazer isso de três maneiras possíveis. Dependendo, portanto, da análise junto à ou ao banco onde tenha o contrato de .

A primeira forma é pagando até 80% das 12 prestações seguintes. Terá, desse modo, folga durante alguns meses.

A segunda maneira é diminuindo o valor de todas as parcelas do ainda existentes.

A terceira opção para amortizar o , seria a pagar várias prestações de forma antecipada. Diminuindo, assim, o tempo para o término do pagamento do contrato.

Leia Também:  FGTS: Tudo o que mudou no Fundo de Garantia com as novas regras

– Infográfico

Atenção para as condições estabelecidas

Esse tipo de uso do  é tão somente liberado para os contratos assinados no âmbito do Sistema Financeiro de Habitação. Caso contrário, não é possível fazer uso do  por Tempo de Serviço, para abater prestações do .

Cabe ao interessado procurar a , para, assim, verificar a possibilidade de se enquadrar em uma dessas hipóteses de amortização e outras condições acessórias.

Caso se enquadre em alguma das possibilidades, os documentos necessários à apresentação na  são:

  • Documento oficial de identificação;
  • Extrato de conta vinculada ao
  • Carteira de trabalho para comprovar o tempo de trabalho sob o regime do ;
  • Se você é avulso, declaração do órgão gestor da mão de obra ou do sindicato.
  • Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física – D. No caso de casado ou em união estável, apresentar a D de ambos os cônjuges/companheiros.

Fonte: Diário Prime