Foguete SpaceX lança mais 60 satélites Starlinks, totalizando com mais de 1.200

0

Um foguete SpaceX Falcon 9, usando um primeiro estágio para fazer seu oitavo voo, colocou mais 60 satélites de retransmissão de internet Starlink em órbita na quinta-feira após o lançamento do Kennedy Space Center, o quarto da categoria do construtor de foguetes da Califórnia este ano.

Inicialmente previsto para decolar no final de janeiro, o foguete foi continuamente retido por problemas técnicos não divulgados, o último no domingo, quando a contagem regressiva foi abortada menos de 90 segundos após a decolagem.

Mas o foguete finalmente ganhou vida no histórico bloco 39A às 3:24 de quinta-feira e o voo de azar começou com uma explosão de chamas e um barulho bem alto.

O lançamento aconteceu apenas nove horas depois que outro foguete SpaceX, um protótipo do estágio superior da espaçonave da empresa, realizou um voo de teste na costa do Texas, subindo a uma altitude de cerca de 3 m conforme planejado, antes de mergulhar de volta para a pista do primeiro pouso.

Poucos minutos após o toque, o foguete foi destruído em uma explosão repentina.

Foi o terceiro acidente consecutivo no programa de testes da espaçonave, mas o foguete conseguiu pousar pela primeira vez.

Poucas horas depois, o Falcon 9 marcou o 20º lançamento bem-sucedido do Starlink da SpaceX, seu sexto voo até agora neste ano e seu 109º no geral.

Durante a noite, o propulsor de 229 pés de altura disparou para ao nordeste da nave um longo jato de escapamento em chamas, que rapidamente desapareceu de vista nas nuvens baixas cobrindo a Costa Espacial da Flórida.

Dois minutos e meio após a decolagem, o primeiro estágio já bem percorrido, o segundo a atingir o marco de oito voos, desligou-se e caiu, voando para um pouso preciso em uma barcaça de pouso em sentido ao mar estacionada a várias centenas de quilômetros de Cabo Canaveral.

SpaceX

Foi a 75ª recuperação de reforço bem-sucedida da SpaceX, a 53ª no mar.

Enquanto isso, o segundo estágio do Falcon 9 acionou seu motor Merlin com vácuo único duas vezes para alcançar a altitude de implantação planejada de 75 m.

Os 60 Starlinks usarão seus sistemas de propulsão iônica a bordo para alcançar sua órbita operacional de 152,44 m acima.

Com o lançamento de quinta-feira, a SpaceX já colocou 1.205 Starlinks em órbita desde o início dos voos em maio de 2019.

O analista espacial, Jonathan McDowell, estima que 63 entraram novamente e 17 não parecem mais estar manobrando.

Mas a empresa tem aprovação regulatória para lançar milhares de estações retransmissoras em seis planos orbitais para fornecer aos assinantes acesso ininterrupto à Internet de qualquer ponto do mundo.

Embora a rede planejada esteja longe de estar completa, a SpaceX está oferecendo o serviço beta inicial em áreas selecionadas e promete “continuar a expansão até quase a cobertura global do mundo populoso em 2021.”

As velocidades de dados variam de 50 a 150 megabytes por segundo e a empresa alerta para “breves períodos sem conexão nenhuma.”

Mas “à medida que lançamos mais satélites, instalamos mais estações terrestres e melhoramos nosso software de rede, a velocidade dos dados, a latência e o tempo de atividade melhorarão drasticamente”.

Conteúdo traduzido da fonte CBS News por Wesley Carrijo para o Jornal Contábil