Gestão financeira se torna uma necessidade nos negócios

Procura por sistemas de planejamento orçamentário cresce, permitindo maior planejamento, organização e projeções.

A pandemia trouxe inúmeros prejuízos para a economia  brasileira. No entanto, na contramão da instabilidade, também é possível encontrar aspectos positivos, como o  crescimento do setor de TI e o surgimento de novas empresas. Em 2020 o faturamento das 120 maiores varejistas do Brasil cresceu 20% e as cinco maiores 33,4%, segundo o ranking do Ibevar (Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo) – FIA (Instituto de Administração). 

Um dos setores que mais cresce no país é o de tecnologia, faturando em 2020 cerca de 426,9 bilhões de reais, o que equivale a 5,6% do PIB nacional. Santa Catarina, por exemplo, teve o melhor desempenho, tendo entre 2015 e 2020 um aumento de 63,2% com novas empresas no setor, mais do que o dobro da média nacional, de 26,1%, segundo dados de um levantamento da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) em parceria com a Neoway.

E junto com o crescimento do faturamento dessas empresas, as responsabilidades também aumentaram, trazendo a necessidade de maior planejamento e organização, com  o uso de ferramentas que ajudem a entregar previsibilidade sobre receitas, despesas e investimentos diante de diferentes cenários para a controladoria da empresa.

A Handit Sistemas, com sede em Blumenau (SC), viu a demanda por sistemas de planejamento orçamentário crescer em mais de 70% no último ano. “Nosso sistema consegue entregar agilidade e flexibilidade, unificando as informações para o planejamento orçamentário de maneira totalmente personalizada, integrando aos sistemas de operação do negócio através de uma metodologia que permite manter a cultura orçamentária já existente, apenas migrando a plataforma. Sendo assim, é possível substituir planilhas em Excel por um sistema que traz mais integridade aos dados, automatização e agilidade”, aponta  Gabriel Barbieri, diretor de Negócios da Handit.

Dificuldade  de  compilar dados e o fim das planilhas em Excel

A tecnologia conseguiu manter as pessoas conectadas, até mesmo quando foi necessário isolamento e o setor de TI permitiu a transformação digital que as empresas precisavam para continuar abertas. 

Com um crescimento de 75,20% no faturamento  em 2021 em relação a 2020, uma das maiores queixas que a Handit atendeu das grandes corporações foi a dificuldade de compilar dados de controladoria para que o acesso à gestão pelos responsáveis fosse prática e ágil. Foi o caso da Hennings, cliente da  Handit. “O nosso planejamento orçamentário era todo feito em planilhas do Excel e o nosso maior desafio era compilar as 25 filiais e seus diversos centros de custos e garantir a confiabilidade da informação”,  conta Cristhiane Probst, gerente de Controladoria da Hennings. 

“O sistema  de planejamento orçamentário permite flexibilizar a gestão orçamentária das empresas através de tecnologias inovadoras visando a maximização dos resultados com confiança, comprometimento e responsabilidade, porque lidamos com muitas informações confidenciais”, explica um  dos sócios-fundadores da Handit, Juarez Santos Moyses.

A instabilidade econômica também demanda uma maior previsibilidade  nas projeções futuras. Esse foi mais um dos motivos para o crescimento da procura por sistemas de planejamento orçamentário estruturados. Rafael Mendes, especialista de Controladoria da Termotécnica, ressalta que  é  imprescindível  ter segurança nas informações, tempo de resposta em simulações e agilidade nos preenchimentos de gastos fixos. “No meu dia-a-dia, considero o mais importante as projeções futuras. Com isso, apresento o realizado do mês anterior e ao mesmo tempo a projeção dos próximos 3 meses até o 5º dia útil, o que antes não era possível sem o software”, assinala. Diante desse  cenário favorável, a Handit Sistemas prevê um crescimento de 65% para 2022. 

Sobre a Handit – A empresa foi fundada em 2015 por Juarez Santos Moyses e Fernando David Moyses, hoje conta com outros três sócios: Lucas Amaral (Desenvolvimento), Rodrigo Busato Sartor (Serviços)  e Gabriel Barbieri (Comercial).

Comentários estão fechados.