Você conhece o significado dos termos contábeis mais usados?

A maioria dos empresários enfrenta dificuldade na hora de compreender documentos e artigos devido a presença de muitos termos técnicos.

A contabilidade é uma ciência que envolve diversos conceitos e uma linguagem própria, por isso, torna-se complicado para quem não trabalha diretamente na área.

Pensando nisso, preparamos este glossário de siglas e termos contábeis para ajudar você entender o significado dos termos mais usados. Boa leitura!

A

Amortização: representa a conta que registra a diminuição do valor dos bens intangíveis registrados no ativo permanente. É a perda de valor de capital aplicado na aquisição de direitos de propriedade industrial ou comercial e quaisquer outros, com existência ou exercício de duração limitada.

Ativo: são todos os bens, direitos e valores a receber de uma entidade.

Ativo circulante:dinheiro em caixa ou em bancos, bens, direitos e valores a receber em curto prazo.

Ativo não circulante: são incluídos neste grupo todos os bens de permanência duradoura, destinados ao funcionamento normal da empresa, assim como os direitos exercidos com essa finalidade.

B

Balanço: é um relatório que demonstra a situação financeira da empresa dentro de um período. O balanço é composto por duas partes, que se encontram sempre em equilíbrio, o Ativo é igual ao Passivo mais o Patrimônio Líquido.

Balanço patrimonial: é a demonstração contábil destinada a evidenciar a posição patrimonial e financeira da empresa. Demonstração que apresenta a relação de ativos, passivos e patrimônio líquido de uma empresa em um período específico.

Base fiscal: é a mensuração, conforme lei fiscal aplicável, de ativo, passivo ou instrumento patrimonial.

Bens de consumo: são bens não duráveis, que são gastos ou consumidos no processo produtivo – depois de consumidos, representam despesas, tais como: combustíveis e lubrificantes, material de escritório, material de limpeza, etc.

Bens intangíveis: não possuem existência física, porém, representam uma aplicação de capital indispensável aos objetivos sociais, como marcas e patentes, fórmulas ou processos de fabricação, direitos autorais, autorizações ou concessões, ponto comercial e fundo de comércio.

C

CAGED: Cadastro Geral de Empregados e Desempregados é um relatório que tem como finalidade controlar as admissões e demissões de empregados sob o regime da CLT que ocorrem no país.

Caixa: dinheiro em caixa e depósitos à vista.

Capital de terceiros: representam recursos originários de terceiros utilizados para a aquisição de ativos de propriedade da entidade.

Capital social: é o valor previsto em contrato ou estatuto, que forma a participação (em dinheiro, bens ou direitos) dos sócios ou acionistas na empresa.

CFOP: Código Fiscal de Operações e Prestações é um código numérico que identifica a natureza de circulação de uma mercadoria ou a prestação de serviço de transportes, inserido na nota fiscal.

Classe de ativos: grupo de ativos de natureza e uso similares nas operações da entidade.

CNAE: Classificação Nacional de Atividades Econômicas é um código composto por 7 dígitos que serve para categorizar e organizar as atividades econômicas das empresas.

CNPJ: Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica é um número de identificação da empresa, usado para todas as atividades que a empresa vai exercer.

COFINS: Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social é uma contribuição social aplicada sobre o valor bruto apresentado por uma empresa, composto pelos regimes cumulativo e não cumulativo.

Contabilidade: é a ciência que estuda e controla o patrimônio, objetivando representá-lo graficamente, evidenciar suas variações, estabelecer normas para sua interpretação, análise e auditagem e servir como instrumento básico para a tomada de decisões de todos os setores direta ou indiretamente envolvidos com a empresa. Conheça alguns motivos para investir na contabilidade da sua empresa.

Contas de resultado: registram as receitas e despesas, permitindo demonstrar o resultado do exercício.

Contas patrimoniais: representam os elementos ativos e passivos, ou seja, os bens, direitos, obrigações e situação líquida.

CST: Código de Situação Tributária é um código cuja finalidade é identificar qual a procedência da mercadoria (de onde veio, se do Brasil ou do exterior) e como a mesma será tributada (se o imposto é calculado normalmente, tem alguma redução ou é isento).

CTPS: Carteira de Trabalho e Previdência Social é um documento que registra as atividades do cidadão enquanto trabalhador.

Custo: são aqueles gastos realizados com bens ou serviços utilizados na produção de outros bens ou serviços, como por exemplo: matéria prima consumida na produção, salários, manutenção de equipamentos, aluguel, energia elétrica, etc.

D

DANFE: Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica é um documento de representação gráfica da NF-e ou NFC-e.

DARF: Documento de Arrecadação Federal é o documento utilizado pelo Ministério da Fazenda e Receita Federal como instrumento de cobrança dos contribuintes no pagamento dos tributos embutidos em operações financeiras.

DAS: Documento de Arrecadação do Simples Nacional é um documento que unifica o recolhimento de impostos a nível estadual, municipal e federal.

Déficit: termo utilizado em finanças para descrever o saldo negativo de operações financeiras de caixa e banco, ou seja, quando as despesas superam as receitas.

Demonstrações contábeis: é a representação monetária estruturada da posição patrimonial, financeira e transações realizadas por um período.

Depreciação: é a apropriação aos custos ou despesas em um determinado exercício, decorrente do uso de bens registrados no ativo da empresa.

Despesas: são os gastos da empresa, como por exemplo: aluguel, material de escritório, despesas de viagem, etc. As despesas sempre provocam diminuições na situação líquida da empresa.

DFC: Demonstração do Fluxo de Caixa é um relatório que relaciona o conjunto de recebimentos e pagamentos financeiros da empresa em um determinado período.

DLPA: Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados é um relatório que tem por objetivo demonstrar a movimentação da conta de lucros ou prejuízos acumulados, ainda não distribuídos aos sócios, revelando os eventos que influenciaram a modificação do seu saldo.

DMPL: Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido é um relatório que fornece informações sobre a movimentação nas contas do Patrimônio Líquido.

DRE: Demonstração do Resultado do Exercício é um relatório que destina-se a evidenciar a formação do Resultado Líquido do Exercício, fazendo o confronto das Receitas, Custos e Despesas apuradas obedecendo o regime de competência.

Duplicata: é uma espécie de boleto, um título de crédito cuja quitação prova o pagamento de compra de mercadorias ou de recebimentos de serviços. É emitida pelo credor (vendedor da mercadoria) contra o devedor (comprador).

E

EI: Empresa Individual é uma modalidade empresarial em que não há sócios, apenas o proprietário. O nome empresarial tem de ser o mesmo do proprietário, apenas tendo a opção de escolher um nome fantasia.

Eireli: Empresa Individual de Responsabilidade Limitada é uma modalidade empresarial semelhante à LTDA, mas que há apenas um sócio.

Estoque: representa os bens destinados à venda e que variam de acordo com a atividade da empresa.

Exercício: é o espaço de tempo de 12 meses, em que as empresas apuram seus resultados.

e-Socialo Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial) é um projeto do governo federal que pretende unificar a entrega das obrigações trabalhistas, previdenciárias e fiscais em todo o país. O sistema vai consolidar os bancos de dados e processos do antigo Ministério do Trabalho e Emprego*, Previdência Social*, Caixa Econômica Federal e Receita Federal.

F

Faturamento: é o total das faturas emitidas num determinado período ou exercício social pela venda de bens e serviços da empresa ou entidade.

FGTS: Fundo de Garantia do Tempo de Serviço é um fundo criado com o objetivo de proteger o trabalhador que for demitido sem justa causa.

Fluxos de caixa: entradas e saídas de caixa.

G

GFIP: Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social é uma guia utilizada para o recolhimento do FGTS e para disponibilizar à Previdência Social informações relativas aos segurados.

GNRE: Guia Nacional de Recolhimento de Tributos Estaduais é um documento para operações de vendas que são feitas para fora do Estado, sujeitas à substituição tributária.

I

ICMS: Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços é um tributo estadual que incide sobre produtos de diferentes tipos e que se aplica tanto à comercialização dentro do país como em bens importados.

INSS: Instituto Nacional do Seguro Social é responsável por recolher as contribuições dos trabalhadores através das empresas e fazer os pagamentos das aposentadorias e demais benefícios dos trabalhadores brasileiros que contribuem com a Previdência Social.

Imobilizado: relaciona os bens e direitos destinados às atividades da empresa, tais como: terrenos, edifícios, máquinas e equipamentos, veículos, móveis e utensílios, etc.

Imposto: também chamados de tributos, são valores obrigatórios para fins específicos e somente o Governo (Federal, Estadual ou Municipal) pode cobrar impostos.

Instrumento financeiro: contrato que origina um ativo financeiro de uma empresa e um passivo financeiro ou instrumento patrimonial de outra empresa.

Investimentos: recursos aplicados em participações em outras sociedades e em direitos de qualquer natureza que não se destinam à manutenção da atividade da empresa.

IRPJ: Imposto de Renda da Pessoa Jurídica é um tributo da espécie imposto que cada contribuinte, sendo pessoa jurídica, é obrigado a pagar uma porcentagem da renda ao Governo.

IRRF: Imposto de Renda Retido na Fonte é uma antecipação do pagamento do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (ou pessoa física), o que dá direito a uma restituição deste ao fim do ano para quem fez sua declaração corretamente. Esta restituição é sempre parcial.

ISS: Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza é um tributo cobrado pelos municípios, ou seja, todos os valores recolhidos a título de ISS são destinados aos cofres públicos municipais.

J

Juros: são valores correspondentes à remuneração cobrada pelo empréstimo de dinheiro, atraso no pagamento de boletos, duplicatas e guias tributárias e qualquer atraso no pagamento ou devolução de crédito recebido de terceiros.

L

LTDA: Sociedade Limitada é uma modalidade empresarial em que a empresa tem dois ou mais sócios.

Lucros acumulados: é o resultado positivo acumulado da empresa, legalmente ficam em destaque mas, tecnicamente, enquanto não distribuídos ou capitalizados, podem ser considerados como reservas de lucros.

M

MEI: Microempreendedor Individual é uma modalidade empresarial em que um profissional autônomo registra-se legalmente para exercer uma atividade específica nas áreas de serviço, comércio e indústria.

Mensuração: processo que determina as quantias monetárias com que os elementos das demonstrações contábeis devem ser reconhecidos e apresentados no balanço patrimonial e na demonstração do resultado.

N

NF-e: Nota Fiscal Eletrônica é um documento fiscal gerado digitalmente pela empresa que está realizando a transação comercial, por exemplo, a venda de um produto.

NFC-e: Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica é um documento fiscal que substitui o cupom fiscal utilizado no comércio varejista.

NIRE: Número de Inscrição no Registro de Empresas é o registro de legalidade da empresa na Junta Comercial do Estado, um número único que comprova que a empresa existe oficialmente.

Nome fantasia: é o nome popular de uma empresa, e pode ou não ser igual à sua razão social.

P

Passivo: é o conjunto de valores que a empresa tem a pagar, como empréstimos e fornecedores.

Passivo circulante: são todos os valores e despesas que a empresa deve pagar a curto prazo.

Passivo não circulante: todos os valores de financiamentos, empréstimos e afins, que devem ser pagos a longo prazo.

Patrimônio líquido: também conhecido como Situação Líquida, sendo considerado o valor que os proprietários têm aplicado na empresa.

PERT: Programa Especial de Regularização Tributária é um programa do Governo Federal que visa oferecer diversas opções de pagamento parcelado, com redução de juros e multas, de débitos tributários e não tributários existentes na Receita Federal do Brasil (RFB) e na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

PGFN: Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional é um órgão vinculado ao Ministério da Fazenda e integrante da Advocacia Geral da União. Este órgão tem como função principal a cobrança dos débitos não quitados e inscritos na Dívida Ativa da União.

Prejuízos acumulados: conta que registra as perdas acumuladas da empresa, já absorvidas pelas demais reservas ou lucros acumulados.

Provisão: acréscimo de exigibilidade cujo valor ou prazo de pagamento ainda não está totalmente definido.

Q

Quotas:são a parte correspondente de cada sócio na sociedade de uma empresa.

R

RAIS: Relação Anual de Informações Sociais é um relatório de informações sócio-econômicas solicitado pelo Ministério do Trabalho e Emprego às empresas anualmente.

Razão Social: é o nome de registro da empresa.

Receitas: são as entradas de elementos para o ativo da empresa, na forma de bens ou direitos que sempre provocam um aumento da situação líquida.

REFIS: Programa de Recuperação Fiscal é o mecanismo que destina-se a regularizar créditos decorrentes de débitos relativos a tributos e contribuições administrados pelos órgãos federais.

Regime de caixa: é o regime contábil que apropria as receitas e despesas no período de seu efetivo recebimento ou pagamento, independente do momento em que foram realizadas.

Regime de competência: é o regime contábil que apropria as receitas e despesas no período de sua realização, independente do efetivo recebimento das receitas ou do pagamento das despesas.

RFB: Receita Federal do Brasil é um órgão governamental que tem como responsabilidade a administração dos tributos federais e o controle aduaneiro, além de atuar no combate à elisão e evasão fiscal, contrabando, descaminho, pirataria e tráfico de drogas e animais.

S

SEFAZ: Secretaria da Fazenda do Estado é o órgão vinculado ao Ministério da Fazenda responsável pelo controle das receitas e das despesas de cada um dos Estados e do Distrito Federal.

Simples Nacional: é um regime de arrecadação, cobrança e fiscalização de impostos que unifica oito impostos municipais, estaduais e federais em uma só guia de pagamento.

Sintegra: Sistema Integrado de Informações sobre operações Interestaduais com Mercadorias e Serviços é um sistema que tem como finalidade facilitar o fornecimento de informações dos contribuintes aos fiscos estaduais e de aprimorar o fluxo de dados nas administrações tributárias.

Sócio: é a denominação que recebe cada uma das partes em um contrato de sociedade.

SPED: Sistema Público de Escrituração Digital é o sistema que recebe as informações fiscais e contábeis das empresas, uma plataforma para envio das obrigações acessórias ao fisco.

SPED Contábil: é uma obrigação acessória do SPED e tem como principal objetivo a padronização dos arquivos digitais.

SPED Fiscal: é uma obrigação acessória do SPED e tem como principal objetivo a escrituração fiscal digital das informações referentes à apuração do ICMS e IPI, usando as notas fiscais de entrada e saída, entre outras informações.

Superávit: termo utilizado em finanças para representar o saldo positivo de operações financeiras de caixa e banco, ou seja, quando as receitas superam as despesas.

Conteúdo original Factor Contábil

DICA EXTRA: O primeiro passo para contadores

Atenção você contador ou estudante de contabilidade, o trabalho para seguir com sucesso na carreira profissional é árduo, inúmeros são os desafios que vamos precisar superar nessa jornada. Mas tenha em mente que o conhecimento é o maior bem que você pode ter para conseguir conquistar qualquer que seja os seus objetivos.

Exatamente por isso apresentamos para você o curso CONTADOR PROFISSIONAL NA PRÁTICA, curso este aprovado por inúmeros alunos e que vem gerando uma revolução no conhecimento e na carreira de profissionais contábeis. 

O curso é sem enrolação, totalmente prático, você vai aprender todos os processos que um contador experiente precisa saber. Aprenda como abrir, alterar e encerrar empresas, além da parte fiscal de empresas do Simples Nacional, Lucro Presumido e MEIs. Tenha todo o conhecimento sobre Contabilidade, Imposto de Renda e muito mais. Está é uma ótima opção para quem deseja ter todo o conhecimento que um bom contador precisa ter, quer saber mais? Então clique aqui e não perca esta oportunidade que com certeza vai impulsionar sua carreira profissional!