Golpes com o PIX: o que pode ser feito para evitar que eles aconteçam?

Alguns criminosos estão aproveitando as facilidades dessa ferramenta para fazer roubos e sequestros relâmpagos

O Pix é um método de pagamento imediato, criado pelo Banco Central. Ele está junto com TED, DOC e cartões para pessoas e empresas realizarem transferência ou receberem pagamentos. O Pix possibilita que cidadãos e empresas façam transações em menos de 10 segundos, utilizando um aplicativo de celular.

Essa ferramenta que trouxe tantas facilidades para a população, também fez surgir uma nova modalidade de crime. Os marginais estão usando o Pix nos sequestros-relâmpagos e nos roubos, pois a rapidez das transações bancárias ajuda na execução do crime. 

Quais são as providências tomadas para evitar esses golpes?

O Banco Central anunciou algumas atitudes para tentar diminuir esses crimes, são elas:

  • Limite de R$1.000,00 para transações realizadas das 20h às 6h, através de PIX e TED em canais digitais;
  • Cadastramento realizado pelo usuário, de contas específicas que poderão ultrapassar o valor do teto. Nesse caso, os pedidos só serão válidos após 24 horas.

Quais são as sugestões de melhorias para o PIX? 

Alguns especialistas em segurança propuseram algumas mudanças e inovações tecnológicas nos aplicativos das instituições financeiras e nos sistemas operacionais dos celulares, para evitar que esse tipo de crime continue acontecendo.

Acompanhe a seguir, as principais sugestões:

Verificação dupla

Conhecido como “amigo identificador”, a ideia é exigir uma aprovação remota de uma pessoa anteriormente cadastrada, pelo usuário, para que a transação seja liberada. Essa opção reduz a privacidade, mas o usuário pode encontrar dificuldades, se a pessoa estiver inacessível e não receber o pedido.

Bloqueio por geolocalização

A proposta é cadastrar as regiões onde seria permitida a transação, superior a um determinado limite; mas isso não evitaria os roubos nas residências e no local de trabalho, podendo ser um incentivo para roubos intencionais.

Bloqueio por horário

A realização de Pix superior a uma determinada quantia só poderia ser feita no horário comercial ou em horários, nos quais o usuário normalmente está em local seguro. O problema é que o sequestro poderia ser prolongado até o horário permitido. 

Quais são as outras idéias para evitar que roubos e sequestros?

Existem ainda outras sugestões para evitar esses golpes, como:

  • Bloqueio por perfil do recebedor;
  • Ocultação ou camuflagem do aplicativo no celular;
  • Uso de dois aparelhos celulares;
  • Botão do pânico (senha especial para informar crimes); 
  • Dois perfis diferentes no celular 
  • Compartilhamento de dados entre bancos e autoridades de segurança.

Comentários estão fechados.