Golpes de transferência de dinheiro: Conheça os principais e como evitá-los

Os golpes para transferência de dinheiro no WhatsApp é uma das maneiras mais comuns para tirar dinheiro das pessoas, afinal é o aplicativo de mensagens mais famoso do mundo e que é usado por milhares de pessoas.

Assim, quando os cibercriminosos não se aproveitam de alguma vulnerabilidade do app para realizar o hackeamento, usam estratégias e lábia para persuadir o próprio usuário da plataforma, o convencendo a entregar seus dados pessoais e finalizando, em seguida, o estelionato. 

Dificilmente, após a realização desse tipo de crime, a vítima conseguirá ressarcimento pelo seu prejuízo, já que esse tipo de golpe é difícil de ser rastreado. Por isso, é importante estar atento às trapaças, investindo na sua prevenção.

Neste artigo, vamos conhecer os principais e mais recentes golpes cometidos no WhatsApp, dando importantes dicas de como evitá-los.

Leia também: Golpe do PIX – Saiba como se proteger

A falsa pesquisa do Ministério da Saúde

Alguns usuários estão recebendo mensagens de supostos funcionários do Ministério da Saúde, que alegam querer realizar uma pesquisa com a pessoa a respeito da sua situação na pandemia.

Depois de respondidas algumas perguntas, é pedido que o usuário informe um código de 6 dígitos, recebido via SMS, para “confirmar a realização da pesquisa”. 

É esse código, às vezes referido como “protocolo” pelo golpista, que irá permitir a clonagem da sua conta no WhatsApp

Em outras versões do mesmo golpe, a conversa gira em torno do seu agendamento para a vacinação contra o coronavírus. 

Em todos os casos, após a conta do usuário ter sido clonada, o estelionatário, se passando pela vítima, passa a pedir dinheiro aos amigos, familiares e contatos da conta original, alegando dívidas, graves problemas de saúde e outras mentiras do tipo. 

A corrente enganosa

É extremamente comum o compartilhamento das chamadas “correntes de WhatsApp”, mensagens que geralmente terminam com o pedido “compartilhe isso com mais tantas pessoas”. 

Em geral, a maioria dessas correntes é bobinha, esperando que a ingenuidade das pessoas levem elas a compartilhar a mensagem em troca de algum benefício milagroso e surpreendente. Mas algumas delas, especialmente, são perigosas. 

As mensagens encaminhadas que chegarem com instruções para conseguir algo, principalmente, devem ser consideradas suspeitas; ainda mais se tiverem um link anexado à mensagem, direcionando o usuário para alguma página da internet.

Uma promoção gigantesca que você supostamente conseguirá ao chegar em um site, ou ao baixar um aplicativo, nomeado na mensagem encaminhada, tende a ser uma grande furada. 

Os links maliciosos

De repente, um contato seu te envia um link. Talvez ele venha junto de uma curta mensagem que anuncia, por exemplo, uma oportunidade extremamente vantajosa para você. Nesse caso, desconfie. Pode ser malicioso, uma prática conhecida como Phishing.

Há casos onde eram oferecidos 6 meses gratuitos na conta da Netflix, e para isso bastava o recadastramento do usuário na página oficial da plataforma, que o link anexava. Mas tudo, infelizmente, era um golpe. 

Em tempos de isolamento, as plataformas de streaming tomaram posição importante na vida de muita gente, e os criminosos cibernéticos se aproveitaram dessa mudança, criando falsas promoções e falsas vantagens relacionadas ao mundo do entretenimento.

Dependendo do tipo de link que você recebe, basta clicar nele para que seu celular ou computador seja infectado com vírus, um programa que danificará seu aparelho e passará a roubar os seus dados. Às vezes, além de clicar no link, é preciso informar os dados pessoais na página para a qual o usuário será direcionado.  

Foto: Marcello Casal Jr
Foto: Marcello Casal Jr

De uma forma ou de outra, os golpes que se utilizam de links maliciosos nunca envelhecem, devido à facilidade com que são compartilhados e à dificuldade que o WhatsApp tem para identificá-los e impedi-los, já que todas as conversas são protegidas com criptografia. 

A conta falsa

Muitas vezes, não é preciso que um usuário tenha o seu número clonado: o golpista cria uma nova conta, utilizando dados públicos da vítima, como nome e foto de perfil, e se passa por ela, entrando em contato com pessoas próximas e pedindo transferências de dinheiro.

Nesses casos, o criminoso inventa alguma desculpa para o número diferente, dizendo que trocou de celular, que foi roubado e coisas assim. 

Como temos muitas informações públicas em nossas redes sociais, e algumas pessoas deixam até mesmo seu número de WhatsApp em algumas delas, não é difícil contatar desconhecidos, nem conseguir uma foto deles.

Como evitar os golpes no WhatsApp 

Para finalizar, deixamos aqui as principais formas de se evitar um golpe no aplicativo verde das suas conversas. Vamos a elas:

Faça a confirmação em duas etapas

No próprio WhatsApp, há uma configuração de segurança que permite evitar a clonagem do número da sua conta: a confirmação em duas etapas. Para acessá-la, faça o seguinte:

  • Abra o aplicativo; 
  • Selecione os três pontinhos verticais que ficam no canto superior direito da tela;
  • Vá para “configurações” e selecione “conta”;
  • Clique na “confirmação em duas etapas” e crie um código para ativá-la.

Após concluir o processo, sua conta estará melhor protegida, sendo necessário duas etapas para recadastrar o seu número no WhatsApp. Coisa que, se um bandido tentar, não irá conseguir, pois não terá o código que você criou. 

Se você utiliza a versão web do WhatsApp, é mais do que recomendado um utilizar um bom antivírus pago para proteção do PC, afinal ter o computador comprometido por algum tipo de malware, seria o suficiente para criar problemas financeiros diversos. 

Preste atenção aos avisos

Quando um contato seu muda de número, o WhatsApp manda um aviso a você, que fica marcado na conversa com esse contato. 

Neste caso, se um dia você notar que o número de um contato mudou, mas isso não foi de forma alguma avisado, é possível, e provável, que este novo número seja de um golpista, usando a foto da antiga pessoa. 

Se isso acontecer, use o número original do seu contato e faça uma ligação para ele, relatando a situação. Aliás, faça uma ligação para confirmar a identidade de qualquer pessoa quando ela te pedir dinheiro. 

Tenha isso por regra: antes de clicar no link, pesquise. Quando um golpe que usa links chega a você, é muito provável que ele já tenha sido relatado em alguma mídia. 

Portanto, busque notícias sobre, escreva sobre o que foi oferecido na mensagem. 

Além disso, preste atenção em uma coisa: já viu links deste tipo antes? São de alguma plataforma que você conhece, como o Youtube? Preste atenção aos nomes. Se for desconhecido, desconfie mais ainda. 

Cuidado com dados públicos

Há uma opção no WhatsApp que deixa sua foto de perfil disponível apenas para seus contatos, não para qualquer um que te mande mensagem. Isso dificulta os roubos de identidade. Para ativar essa opção, siga os seguintes passos: 

  • Abra o aplicativo;
  • Selecione os três pontinhos verticais que ficam no canto superior direito da tela;
  • Vá para “configurações” e selecione “conta”;
  • Na seção “privacidade”, selecione “foto do perfil” e ative só para “meus contatos”.

Outro cuidado importante é não deixar seu número de WhatsApp à mostra nas suas redes sociais. Procure passá-lo apenas para quem conhece. 

Acima de tudo, seja cético: desconfie sempre do que recebe no WhatsApp, seja link, seja notícia, seja promessa ou qualquer coisa do tipo. Na dúvida, pesquise. 

Gostou deste artigo? Compartilhe para alertar a outros! 

Comentários estão fechados.