Governo de Biden começa a reunir famílias de migrantes separadas por Trump

0

O Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (DHS) anunciou na segunda-feira que localizou e irá reunir nesta semana quatro das famílias separadas sob a administração de Trump, um grande progresso na promessa do presidente Biden de desfazer um dos legados mais amplamente condenados de seu antecessor.

Fatos Principais

  • O secretário do DHS, Alejandro Mayorkas, disse em um comunicado matinal que as quatro famílias se reunirão nos EUA, onde as crianças residem atualmente, no final desta semana.
  • Entre eles está pelo menos uma criança que foi separada dos pais aos três anos, assim como “adolescentes que tiveram que viver sem os pais durante os anos de formação”, segundo Mayorkas.
  • Embora não tenha identificado as famílias, Mayorkas disse que duas delas, uma hondurenha e outra mexicana, foram separadas no final de 2017 como parte de um programa piloto para a política de “tolerância zero” que o ex-presidente Donald Trump instituiu um ano depois.
  • Os pais serão devolvidos aos EUA em liberdade condicional humanitária para as reunificações, enquanto as autoridades consideram formas mais longas de estatuto legal, explicou Michelle Brane, diretora executiva da Força-Tarefa de Reunificação da Família da administração Biden.

1.000. É o número de famílias que o governo Biden acredita que ainda estão separadas pela política da era Trump.

Fonte: Google
Fonte: Google

Citação Importante

Mayorkas descreveu essas reunificações como “apenas o começo”. “Continuamos a trabalhar incansavelmente para reunir muito mais crianças com seus pais nas próximas semanas e meses”, disse ele.

Cenário Principal

Mais de 5.400 crianças foram separadas de seus pais de acordo com a política do governo anterior.

Desde que assumiu o cargo, Biden tem trabalhado rapidamente para desfazer o legado de imigração de Trump, oficialmente rescindindo o programa de “tolerância zero” de Trump, fortalecendo o programa “Ação Adiada para Chegadas de Crianças” (DACA) e restabelecendo uma política que permite que crianças menores desacompanhadas permaneçam nos EUA.

Desde então, o governo fez progressos na mudança de crianças para abrigos mais equipados para estadias de longo prazo, reduzindo o número de crianças desacompanhadas sob custódia da Patrulha de Fronteira de 5.700 no final de março para 677.

Conteúdo traduzido da fonte Forbes por Wesley Carrijo para o Jornal Contábil