Entre as recentes novidades com a prorrogação de mais duas parcelas de R$ 600 do Auxílio Emergencial, está a forma de pagamento da quarta e quinta parcela adicional do benefício.

Calendário terá o mesmo formato

O Auxílio Emergencial terá um calendário no mesmo formato das parcelas anteriores, onde serão definidos dois calendários com datas distintas para pagamento, confira como serão os dois pagamentos:

  • Calendário para recebimento em conta poupança social digital da Caixa
  • Calendário para saque em espécie e transferência para outras contas
auxilio emergencial

Mudanças no pagamento

Houve uma surpresa nas recentes divulgações do governo. Diferente das outras parcelas, as parcelas de prorrogação podem não ser feitas em um único pagamento, de acordo com o interesse de Paulo Guedes, ministro da Economia e do presidente Jair Bolsonaro, os pagamentos podem ser divididos em dois. Vale lembrar que a maneira de divisão das parcelas ainda segue em debate.

Porém a sugestão de Paulo Guedes é de que cada parcela seja dividida em dois pagamentos, um pagamento no inicio e outro pagamento no final do mês, de maneira que agora a quarta e quinta parcela possam ser divididas em quatro pagamentos.

Veja como deve funcionar a sugestão de Paulo Guedes:

  • Pagamento da quarta parcela será feito no final de julho: R$ 500
  • Pagamento da quarta parcela será feito início de agosto: R$ 100
  • Pagamento da quinta parcela será feito meio de agosto: R$ 300
  • Pagamento da quinta parcela será feito no final de agosto: R$ 300

O governo dará prioridade ao pagamento em conta poupança social digital da Caixa, onde o saldo poderá ser utilizado através do aplicativo Caixa Tem, para pagamento de contas, compras online e compras presenciais via QR Code.

Senado prioriza Benefício para mulheres chefes de família

Foi aprovado ontem, 8 de julho, pelo Senado, um Projeto de Lei de autoria da senadora Rose de Freitas (Podemos-ES), que objetiva dar prioridade às mães chefes de família, no ato de recebimento do auxílio emergencial oferecido pelo Governo Federal.

A proposta também prevê o pagamento em cota dupla em casos de informações conflitantes.

Conforme as diretrizes do Auxílio Emergencial, o benefício poderá ser pago em dobro, no valor de R$ 1.200,00, a chefes de família monoparentais, quando os filhos são criados somente pelo pai ou mãe.

Em seu relatório, Rose menciona que são “numerosos os relatos de mães e filhos que se encontram desamparados, porque o pai – por exemplo, um ex-cônjuge – foi quem sacou os recursos” do governo. O projeto foi aprovado em votação simbólica e segue agora para a sanção presidencial.